carregando
F1

Boesel foi vítima do estilo opressivo de empresários e chefes de equipe, diz Lito Cavalcanti

Piloto brasileiro correu na F1 entre 1982 e 1983, mas a falta de bons carros o levou para outras categorias

Grande Prêmio / Redação GP, São Paulo

 
Na edição #02 do Cadeira Cativa, Lito Cavalcanti afirma que Raul Boesel foi vítima do estilo opressor dos chefes de equipe na Fórmula 1 e, por isso, acabou não durante muito tempo na categoria. ASSISTA

COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 
☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações se estiver doente.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.