F1

Bottas exalta “boa sensação” com novo motor e prevê briga apertada com Ferrari na classificação

Valtteri Bottas terminou a sexta-feira (7) de treinos livres com sentimento positivo. No Canadá, o finlandês falou sobre o novo motor da Mercedes, além de ter ressaltado o bom desempenho da Ferrari nas retas e como espera uma classificação apertada

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Valtteri Bottas encerrou o primeiro dia de atividades no Canadá com sentimento bastante positivo. Nesta sexta-feira (7), o piloto ressaltou como o novo motor da Mercedes é bom, e prevê uma boa briga na classificação com a Ferrari.
 
Para a etapa em Montreal, a Mercedes aproveitou para levar a primeira atualização do motor, com o objetivo de tentar reagir em velocidade nas retas. Após os primeiros treinos livres, o finlandês terminou em terceiro na tabela.
 
“Realmente aproveitei hoje, foi bastante divertido na pista. Esse traçado é sempre muito empoeirado no início e depois melhora, então você precisa achar a aderência aos poucos. É isso o que eu gosto sobre o circuito, pois é diferente a cada vez que você vai para a pista e sempre precisa descobri-lo novamente, aprender sobre ele”, sublinhou.
Valtteri Bottas (Foto: Mercedes)
“O carro parece forte, mas temos trabalho a fazer no equilíbrio. O carro se tornou mais difícil de pilotar com as mudanças no segundo treino, mas também estava um pouco mais rápido. Então precisamos rever se tinha algo que poderíamos ter feito melhor no segundo treino e o que faremos para amanhã”, continuou.
 
“É bom ter um novo motor com um pouco mais de potência, não é uma enorme diferença, mas consegue sentir, e é um sentimento realmente bom. O carro parece forte em corridas longas e curtas, mas Ferrari está muito rápida nas retas, então espero que vai ser uma briga apertada amanhã. Mas gosto dessa pista e estou confiante, então estou ansioso pela classificação”, encerrou.
 
Enquanto isso, Lewis Hamilton tropeçou em um pequeno incidente nesta sexta-feira. Durante o segundo treino livre, o inglês acabou acertando o Muro dos Campeões, erro o qual classificou como “inocente”.