Brawn vê mais culpa de Bottas do que de Russell em acidente: “Deixou sem espaço”

O acidente entre George Russell e Valtteri Bottas no GP da Emília-Romanha fez até o chefe da Fórmula 1, Ross Brawn, se apressar para comentar. E ele apontou um culpado

Assista aos melhores momentos do GP da Emília-Romanha de F1 (Vídeo: GRANDE PRÊMIO com Reuters)

A polêmica não acaba: mais de 24 horas depois do acidente entre Valtteri Bottas e George Russell em Ímola, o mundo da Fórmula 1 segue comentando o ocorrido — que causou bandeira vermelha e mudou os rumos do GP da Emília-Romanha do último domingo (18).

Outro que não se furtou a comentar a polêmica foi Ross Brawn, diretor-esportivo da Fórmula 1. Em sua coluna pós-GP no site oficial da categoria, o dirigente britânico analisou a situação entre Bottas e Russell e apontou um culpado pelo acidente.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

George Russell e Valtteri Bottas se envolveram em um forte acidente durante a corrida em Ímola (Foto: Reprodução/TV)

Para Brawn, Bottas foi o principal responsável: “Tenho certeza de que os dois pilotos vão analisar o incidente e aprender a partir dele, mas me pareceu que Valtteri jogou o carro para o lado e deixou George sem espaço para passar”, escreveu.

“Não há dúvida de que a discussão seguirá quente, mas o lado positivo é que ambos saíram ilesos e os carros aguentaram o impacto, mostrando como evoluímos no quesito segurança”, completou.

Bottas e, agora, o próprio Russell parecem discordar de Brawn: do lado do finlandês, este afirmou que “quando corre, tem respeito”, e que a culpa é toda do piloto da Mercedes; já o britânico, que começou atacando o rival, mudou o discurso, e já disse que “provavelmente ele não é o culpado”.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar