Brawn vê Schumacher como “piloto mais completo” e afirma: “É um privilégio trabalhar com ele”

Ross Brawn, chefe da Mercedes, disse ter muita sorte por fazer parte da carreira de Michael Schumacher. Dirigente classificou germânico como piloto completo e segue confiando na capacidade do heptacampeão de surpreender

Michael Schumacher fará neste domingo (2) seu 300º GP de F1 e, mais uma vez na carreira, terá a companhia do antigo parceiro Ross Brawn. O dirigente, que trabalhou ao lado do germânico desde os tempos Benetton, teve papel fundamental nos sete títulos mundiais conquistados pelo piloto e foi também um dos grandes responsáveis pelo retorno do ex-piloto da Ferrari às pistas após três anos afastado da F1.

Em Spa-Francorchamps, onde se preparam para o GP da Bélgica deste fim de semana, Brawn conversou com jornalistas e falou sobre o orgulho de fazer parte da carreira do maior vencedor da história da categoria.
 

Brawn afirmou que é um privilégio trabalhar com Schumacher (Foto: Mercedes)


"Tenho muita sorte de fazer parte da carreira de Michael na F1”, afirmou. “Ele conseguiu tantos recordes, que acho que será difícil alguém alcançá-los. Pode acontecer um dia, claro, mas será extremamente difícil, porque ele teve uma performance tão impressionante ao longo desses anos todos que será um grande trabalho”, defendeu.

“E é um privilégio acompanhar essa história e ter estado em quase todos esses GPs. E ver todas as vitórias”, continuou.

Na visão de Brawn, os sete títulos conquistados por Schumacher não são apenas resultado de seu talento como piloto, mas também de sua dedicação e comprometimento com o esporte.

“Acho que Michael conseguiu tudo isso não só por sua capacidade e talento, mas também por seu extremo comprometimento com o esporte e com a vida profissional”, opinou. “Ele sempre foi capaz de motivar a todos, a equipe e a todos ao seu redor e é, por essa razão, que ele obteve tanto sucesso.”

O chefe da Mercedes destaca que Michael não perdeu seu talento como motivador e avalia o piloto como o mais completo de sua geração.

“Ele ainda é assim, ainda tem toda essa capacidade. Então, para mim, ele é o piloto mais completo da minha geração”, falou.

Por fim, Brawn disse ter certeza da capacidade de Schumacher de surpreender e citou a classificação para a etapa de Mônaco como exemplo. Na prova do principado, Michael fez a melhor volta no treino classificatório, mas largou em sexto por conta de uma punição recebida por um toque com Bruno Senna no GP da Espanha.

“Será que ele ainda pode nos surpreender? Certamente. Não tenho dúvidas”, assegurou. “A classificação em Mônaco foi uma prova disso. Uma pena não ter conseguido ficar na primeira fila, mas a performance estava lá. Ele ainda continua nos mostrando performance excepcionais e é, sim, privilégio trabalhar com ele”, finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube