Button diz que testes não refletem real hierarquia: "Ninguém sabe quem será o mais rápido"

Jenson Button afirmou que, no momento, os resultados vistos nos testes da pré-temporada tornam qualquer projeção para o GP da Austrália é "extremamente difícil"

Para Jenson Button, é quase impossível prever quem vai determinar o ritmo na abertura da F1 em Melbourne, na Austrália, na próxima semana. O inglês da McLaren afirmou ainda que, no momento, é "extremamente difícil" fazer alguma projeção somente baseado nos testes da pré-temporada, realizados entre início de fevereiro e março, nas pistas espanholas de Jerez e Barcelona.

Button fala em temporada imprevisível (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)


Ainda analisando o campeonato que está prestes a iniciar, Button acredita também que o excessivo desgaste dos pneus, aliado às diferentes estratégias de combustível adotadas pelas equipes durante os treinamentos, apenas reforçam a ideia de que é difícil estabelecer uma hierarquia.

"Neste ano, realmente duvido que algum time realmente saiba ou entenda a real hierarquia de forças", afirmou o britânico. "Tem sido extremamente difícil entender os testes deste ano, por causa das variações nos níveis de combustível e do desgaste de pneus. Isso tudo dificulta qualquer previsão para a Austrália. Mas é parte do jogo. Ninguém sabe quem será o mais rápido", completou.

Button, que já venceu três vezes o GP australiano, incluindo o do ano passado, confia no retrospecto para conseguir novo sucesso do Albert Park. "O início de uma nova temporada é sempre emocionante, pois é o culminar de meses de trabalho árduo e de planejamento", declarou.

"Tive ótimas experiências em Melbourne, depois de ter vencido três vezes lá. Eu realmente adoro o lugar. Não há melhor lugar no mundo para começar um campeonato muito competitivo quanto é a F1", concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube