F1

Carros desafiadores, maior exigência física e novo tipo de entretenimento: Hamilton traça F1 do futuro

Lewis Hamilton acompanha com atenção as manobras de Liberty Media e Fórmula 1 para o futuro. O britânico diz ser capaz de correr “dois ou três” GPs em sequência na atualidade, consequência da facilidade para guiar e do pouco esforço físico

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim
Lewis Hamilton brilha na Fórmula 1 atual, mas isso não é motivo para ser contra mudanças profundas. Entrevistado às vésperas do GP do Canadá deste fim de semana, o britânico cobrou uma categoria com novos tipos de desafios e atrações para o público. De acordo com o pentacampeão, o primeiro passo é ter carros mais difíceis de pilotar, deixando os pilotos “exaustos” ao fim das provas.
 
“Você deveria estar fisicamente exausto depois de uma corrida, deveria ser exaustivo como uma maratona”, defendeu Hamilton. “Eu provavelmente seria capaz de fazer duas ou três corridas, uma atrás da outra, e a F1 não deveria ser assim. Esse é um esporte para gente adulta, e muitos dos jovens chegam aqui e é um tanto fácil para eles. Acho que deveria ser um desafio físico maior”, indicou. 
 
“Tem que tirar essas áreas de escape enormes que você tem em todos os lugares. Você não deveria ter a assistência do volante e, mesmo se você tiver, você precisa manter isso num nível baixo. Prefiro que fique baixo, assim fica mais difícil para mim”, seguiu.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
A cobrança de Hamilton também vai no sentido de criticar atitudes do comando da Fórmula 1. Na análise do piloto da Mercedes, a categoria nem sempre conseguiu ir no caminho certo.
 
“Olhando os últimos 12 anos e além, você vê que eles sempre mudam o regulamento dos carros, tentam melhorar os custos, as ultrapassagens. Como um todo, sinto que as decisões não foram ótimas nesses anos todos. O Liberty [Media] assumiu [a F1] e você ainda tem os mesmos problemas: as pessoas não estão tão empolgadas, ainda existe uma divisão entre as equipes ricas e as menores”, ponderou.
 
“Existe a questão do entretenimento. Se você olhar, cada fim de semana tem os mesmos quatro dias, isso em 21 fins de semana no ano. O formato nunca mudou. E tem isso, o entretenimento provavelmente precisa mudar para acomodar diferentes pistas. Você tem Mônaco e não dá para ultrapassar lá, então talvez a gente possa fazer duas corridas lá. Não sei, não tenho respostas, mas acho que essa é uma questão que precisa de uma análise”, refletiu.
 
O plano do Liberty Media é fazer mudanças radicais na F1 em 2021, mas ainda não se sabe ao certo qual direção vai ser tomada. Um indicativo dado pela FIA é a possibilidade de fins de semana mais curtos para a categoria.
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.