Cauteloso, Pérez diz que Force India começa temporada 2016 longe da luta pelo pódio e defende patrão Mallya

Sergio Pérez foi claro ao dizer que, no momento, não acredita que a Force India vai abrir a temporada brigando por um lugar no pódio. O mexicano falou também que não consegue vislumbrar a F1 surpreender como o futebol, citando o Leicester City, time que lidera o Campeonato Inglês. Ainda, ‘Checo’ defendeu o chefe, Vijay Mallya, procurado pela justiça por conta de uma dívida bilionária

Depois da Ferrari, a Force India foi a equipe que mais evoluiu na F1 na temporada passada, que se encerrou com o melhor resultado da história do time, que conquistou o quinto lugar no Mundial de Construtores. Agora, 2016 começa com uma perspectiva de voos ainda mais altos para o time de Silverstone. Contudo, ao menos no que diz respeito à etapa de abertura do Mundial, neste fim de semana, com o GP da Austrália, Sergio Pérez é cauteloso no seu discurso e entende que a Force India não tem condições de lutar por um lugar no pódio.
 
Durante evento realizado nesta terça-feira (15) em Melbourne, palco da corrida que abre a temporada 2016, Pérez foi claro ao falar que não acredita em pódio logo de cara. “Não estou tão confiante. Nós estamos muito longe disso agora. Mas estou confiante de que podemos somar alguns bons pontos para a equipe.”
 
“As atualizações parecem promissoras, como sempre, mas uma vez que elas estejam na pista, aí é outra história. Esperamos que a gente possa começar o ano somando bons pontos”, acrescentou o piloto mexicano de 26 anos, dando a entender que não ficou satisfeito com seu desempenho na pré-temporada. “Os testes não foram tão bons para mim, mas estou confiante de que podemos começar lutando por pontos neste fim de semana”, reforçou.
Cauteloso, Sergio Pérez descarta Force India da luta pelo pódio no GP da Austrália (Foto: Force India)
‘Checo’ foi questionado também se na F1 é possível acontecer uma zebra, por exemplo, do tamanho da protagonizada neste momento pelo incrível Leicester City, apontado no começo da temporada do Campeonato Inglês como grande candidato ao rebaixamento, mas que lidera a tabela após 30 jogos disputados — em tempo, na última segunda-feira, o time venceu mais uma ao derrotar o Newcastle por 1 x 0. Pérez lamentou por não ver a F1 com a mesma capacidade para surpreender.
 
“Infelizmente, a F1 é muito estranha quando você a compara ao futebol. Enquanto no futebol você tenha uma série de forças humanas, na F1 há um certo limite do que o carro pode fazer e, apenas nos números, não é possível vencer a Mercedes, por exemplo. Mas pode haver certas circunstâncias que podem nos dar uma chance de provavelmente faturar uma vitória. Espero que possamos lutar por pódios, mas estamos longe disso no momento”, disse, resignado.
 
A ideia de Pérez para este começo de 2016 remete um pouco ao ano passado, quando a Force India teve de lidar com dificuldades com a primeira versão do VJM08, mas foi somando pontos aqui e ali. O reforço técnico veio mesmo quando a especificação B do carro estreou no GP da Inglaterra e, desde então, a Force India se mostrou mais forte, foi ao pódio com o próprio Pérez, em Sóchi, e terminou o Mundial em quinto.
 
“Acho que estamos muito próximos da posição que deixamos no ano passado, então acho que, se tivermos um bom começo e somarmos alguns pontos, vamos ter uma boa temporada”, acrescentou.
 
Por fim, Pérez aproveitou para defender o patrão, Vijay Mallya. O empresário enfrenta problemas com a justiça indiana por conta de uma dívida de quase R$ 5 bilhões e se refugiou em Londres. Ao falar sobre o chefe, o mexicano foi só elogios e disse torcer para seu retorno ao paddock da F1.
 
“Vijay é um cara gigante! Ele tem feito muito para o esporte, não só para a nossa equipe. A F1 precisa de pessoas como Vijay. Provavelmente sim, ele está passando por alguns momentos difíceis, mas ele tem todo o apoio da equipe, de todos nós, e estamos ansiosos para vê-lo em breve nas pistas”, concluiu.
VEJA A EDIÇÃO #19 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA STOCK CAR, F1, INDY E F-E

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube