Leclerc espera repetição de 2020 e pista escorregadia na Turquia: “Bom para Ferrari”

GP da Turquia de 2020 foi marcado pela dificuldade dos pilotos de permanecerem na pista, bastante escorregadia. Charles Leclerc torce para que evento se repita este ano

Paddock GP #259 faz prévia do GP da Turquia de F1

O monegasco Charles Leclerc, da Ferrari, foi na contramão de seus rivais na Fórmula 1 ao falar sobre a possibilidade da pista na Turquia estar escorregadia como no ano passado. Recentemente, foi revelado que houve um tratamento no circuito, para que a aderência dos pilotos seja maior este ano. Assim, é quase consenso no paddock entre os competidores que seria melhor que as condições de 2020 não se repetissem. Quase.

Para Leclerc, as condições do ano anterior foram desafiadoras mas beneficiaram o conjunto Ferrari, que conseguiu se manter competitivo durante toda a corrida e terminou com um pódio. Na ocasião, Sebastian Vettel (hoje na Aston Martin) largou em 12º e chegou em terceiro, enquanto o monegasco saiu em 14º e conseguiu chegar em quarto, logo atrás do companheiro de equipe e superado na última curva.

“Lembro que várias pessoas reclamaram [em 2020], mas eu fui um dos únicos que ficou feliz que estava assim, porque fomos bem competitivos, brigamos por boas posições”, disse Leclerc já na Turquia, para a disputa da próxima etapa. “Obviamente, um pódio era possível. Eu aproveitei o fim de semana – não acabou do jeito que eu queria, ficando logo abaixo do pódio”, afirmou.

“Mas, no geral, foi um fim de semana positivo para nós, e espero que possamos repetir este ano”, torceu. “Ouvi que algumas coisas mudaram, obviamente lavaram a pista muitas vezes. Então vamos ver se vai estar ruim como no ano que vem. Eu duvido que esteja, mas espero que ainda esteja escorregadia e que ainda beneficie a gente”, encerrou.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Leclerc ficou em quarto na Turquia em 2020, perdendo o pódio na última volta da corrida (Foto: Ferrari)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Seus concorrentes na Fórmula 1, entretanto, vão em outra direção. Na chegada à Turquia, os pilotos disseram estar torcendo para que o asfalto esteja menos escorregadio do que em 2020. Vettel, ex-companheiro de equipe de Leclerc na Ferrari e hoje na Aston Martin, espera que não seja tão escorregadio quanto no ano anterior, mas que “não se importa” se chover de novo.

“Foi divertido. Estava escorregadio no ano passado, esperamos que não esteja tanto”, disse. “Esse ano temos espectadores, então para eles não é tão bom ter chuva. Mas para a gente, acho que pode bagunçar as coisas, então tenho a mente aberta”, finalizou.

A etapa de 2020 na Turquia foi marcada pela recuperação e vitória de Lewis Hamilton, que assegurou seu sétimo título mundial após triunfar no Istambul Park. Por outro lado, seu companheiro de Mercedes, Valtteri Bottas, rodou incríveis seis vezes ao longo da corrida, inclusive levando uma volta do britânico. O finlandês disse ter aprendido com a experiência do ano passado, e espera que as condições em 2021 estejam melhores do que as encontradas na última temporada.

“Ultimamente, na chuva, não tem sido ruim”, disse Bottas, que em 2022 será piloto da Alfa Romeo. “[A Mercedes aprendeu] principalmente a operar a temperatura e a pressão de pneus intermediários e pneus de chuva. Mas realmente espero que a pista tenha um pouco mais de aderência do que no ano passado, porque foi muito extremo, até no asfalto seco”, encerrou.

LEIA TAMBÉM
Norris revela problemas de saúde mental em ano de estreia na F1: “Me sentia depressivo”
Mercedes vê “pontas soltas” e admite desperdício de pontos em briga com Red Bull
Schumacher discorda de chefe e vê como “desnecessário” reserva experiente na Haas

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar