Leclerc exalta capacidade analítica e diz que aprendeu muito com Vettel na Ferrari

Monegasco descartou pensar no passado se for batido pelo ex-companheiro de Ferrari ao longo da temporada 2021 da Fórmula 1

Hamilton vence na estratégia e pega Verstappen: assista como foi o GP do Bahrein (Vídeo: GRANDE PRÊMIO com Reuters)

Charles Leclerc voltou a reconhecer que aprendeu muito dividindo a Ferrari com Sebastian Vettel. Os dois passaram duas temporadas juntos na escuderia italiana e, ainda que tenham tido alguns incidentes aqui e ali, conseguiram manter uma boa relação.

Agora dividindo a equipe com Carlos Sainz, Charles reconhece que aprendeu com o experiente tetracampeão e que sempre se impressionou com a sinceridade do alemão.

Sebastian Vettel e Charles Leclerc trocaram capacetes após GP de Abu Dhabi, encerramento de 2020 (Foto: Reprodução)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!
WEB STORIES: Por quem Toto Wolff perdeu o respeito?

“Começando pela experiência dele, em determinadas situações ele tinha uma ótima capacidade analítica. Acho que aprendi muito com Seb neste sentido”, disse Leclerc em entrevista ao site italiano Motorsport. “Percebi a importância que ele dava a alguns detalhes, fazia uma grande diferença na pista no final. Foi muito interessante avaliar isso. E Seb é uma pessoa muito boa, que sempre me impressionou pela franqueza”, seguiu.

Em 2021, Vettel migrou para a Aston Martin, que briga no pelotão intermediário da Fórmula 1. Questionado sobre como se sentiria se fosse ultrapassado por Vettel neste ano, Charles respondeu: “Não acho que, se isso acontecer, vou pensar: ‘Ah, ele era meu companheiro de equipe, eu o bati e agora ele está na minha frente’”.

“Quando baixo o visor, não tenho tempo para esses pensamentos. Foco em mim mesmo, no meu carro e no que me espera. Se Seb me passar, vou tentar imediatamente recuperar a minha posição. Não acho que terei nenhum outro pensamento no momento”, comentou.

Por fim, o monegasco falou sobre a espera para que a Ferrari recupere a competitividade na F1.

“É preciso ter paciência e é um presente que eu me desenvolva ao longo do caminho”, disse. “Quando você tem uma deficiência causada por razões técnicas, sabemos que leva tempo para recomeçar na Fórmula 1. Então você precisa ficar o mais calmo possível neste momento, também porque ficar bravo e impaciente não é construtivo”, continuou.

“Acho que amadureci vendo as coisas por este lado. Mas, obviamente, mal posso esperar para voltar a vencer corridas. A meta de um piloto é sempre a mesma”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube