Leclerc perde controle e bate Ferrari dos anos 1970 durante exibição em Mônaco

Charles Leclerc fazia exibição com Ferrari 312B3 em Mônaco quando perdeu a traseira do carro após falha nos freios e acabou batendo na curva La Rascasse

Líder da temporada da Fórmula 1, Charles Leclerc passou por uma situação constrangedora durante o fim de semana do GP Histórico de Mônaco. O piloto bateu uma Ferrari 312B3, carro utilizado pela Scuderia na década de 1970.

Leclerc participava de uma demonstração quando perdeu a traseira na curva La Rascasse e acabou batendo no guard-rail. O monegasco afirmou que sofreu com problema nos pedais. O carro seria pilotado por Claudia Hurtgen na classe para carros de GP construídos entre 1973 e 1976.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Charles Leclerc é líder do Mundial (Foto: Ferrari)

LEIA MAIS: Leclerc volta a lembrar de ódio a Verstappen no kart: “Longa lista de conflitos”

“Eu perdi os freios, perdi os freios. Freei, mas o pedal estava muito duro, Tive sorte de estar ali no momento, porque se fosse em outra curva, seria problema. Eu me assustei, cheguei normal na curva”, disse o vencedor dos GPs do Bahrein e da Austrália.

O modelo 312B3 foi utilizado pela Ferrari na temporada 1973 por Jacky Ickx (curiosamente um participante do evento) e Arturo Merzario. O sucessor deste carro, o 312B3-74, foi vice-campeão mundial de Construtores em 1974.

Leclerc vai defender a liderança do Mundial de Fórmula 1 no próximo dia 22, no GP da Espanha. Já a tradicional etapa de Mônaco está agendada para a semana seguinte, no dia 29.

MAIOR DECEPÇÃO DA FÓRMULA 1 2022? MERCEDES NÃO SABE COMO MELHORAR W13 PARA HAMILTON E RUSSELL
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Escanteio SP.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar