F1

Chefão da F1 rasga elogios a ‘dedicado’ Ron Dennis e afirma: ‘Seria uma pena vê-lo ir embora”

Bernie Ecclestone rendeu muitos elogios ao amigo Ron Dennis e disse que torce pela sua permanência à frente do Grupo McLaren. O chefão da F1 entende que o executivo britânico, uma das lendas do esporte, tem feito um bom trabalho e que qualquer um que o critica é estúpido

Warm Up / Redação GP, de Sumaré
Em meio aos rumores sobre uma possível saída da presidência do Grupo McLaren, Ron Dennis ganhou o apoio de uma das principais vozes do esporte a motor. Bernie Ecclestone, o todo-poderoso da F1, saiu em defesa do britânico e deixou claro que gostaria de vê-lo à frente de uma das empresas mais icônicas do automobilismo por um bom tempo.
 
A McLaren, por meio da sua assessoria de imprensa, negou os rumores da saída de Dennis da presidência do seu grupo empresarial ao fim deste ano, quando vai se encerrar o seu contrato. 
Ecclestone rasgou elogios a Ron Dennis e disse torcer pela sua permanência à frente da McLaren (Foto: Divulgação)
Neste fim de semana, o britânico completou nada menos que 50 anos envolvidos com a F1. Como mecânico da extinta Cooper, Dennis participou do seu primeiro GP no dia 23 de outubro de 1966. Desde então, a carreira do engenheiro foi marcada por muitos êxitos, sobretudo quando passou a fazer parte da McLaren, em 1980. Dennis foi um dos artífices dos anos de ouro do time britânico, sobretudo com Ayrton Senna e Alain Prost como pilotos no fim da década de 1980.
 
Ecclestone, conhecedor como poucos do trabalho de Dennis, rasgou elogios ao amigo. “Se eu estivesse montando uma equipe, gostaria de ter Ron comigo. Acho que ele tem feito um bom trabalho. Qualquer um que lança críticas contra ele é estúpido”, disse o dirigente, prestes a completar 86 anos, em entrevista à agência ‘Reuters’.
 
“Ele é dedicado. Acho que devemos tentar apoiá-lo, então eles [as pessoas da McLaren] não ficarão livres dele”, acrescentou o chefão da F1, que torce pela sua permanência no esporte. “Seria uma pena vê-lo ir embora. Ele é um dos bons veteranos”, complementou.
 
Dono de 25% das ações do Grupo McLaren — o restante do ‘bolo’ se divide entre Mansour Ojjeh, com outros 25% e a empresa barenita Mumtalakat, com 50% das ações —, Ron Dennis ocupa o posto de presidente da empresa desde janeiro de 2014. Neste período, a escuderia está sem vitórias na F1. A última aconteceu no fim de 2012, com Jenson Button subindo no topo do pódio do GP do Brasil. Ainda assim, a McLaren nega categoricamente que Dennis vai deixar o comando do grupo.
 
Entretanto, Martin Brundle, ex-piloto e atualmente comentarista da emissora britânica Sky Sports, informou que mudanças podem sim acontecer na McLaren em breve. “Parece que há algum desgaste, e parece que há uma nova direção pela qual eles querem seguir. Não sei o que eles têm em mente e em quais elementos da McLaren eles vão realizar mudanças, e se eles vão se reestruturar. Temos de esperar e ver”, declarou o inglês.