Chefe ameaça tirar Haas do grid se F1 seguir dividida entre ‘A e B’: “Para que perder tempo trabalhando?”

Günther Steiner, chefe da Haas, quer muito que a F1 mude seu regulamento para 2021 e implemente o teto orçamentário. Segundo ele, é a única chance da equipe seguir no grid da categoria

Que o regulamento da F1 vai mudar para 2021 já é fato conhecido. Mas as especificações ainda não. E é delas que Günther Steiner, chefe da Haas, fala quando ameaça tirar sua equipe do grid da principal categoria do automobilismo mundial se não tiver chances de brigar pelo título no futuro.

Em entrevista ao 'Motorsport', Steiner comentou sobre como não vê razões para continuar na F1 se as alterações não acabarem com as divisões 'A e B' entre as equipes (no caso, a 'A' sendo o trio formado por Ferrari, Mercedes e Red Bull, dominante nos últimos anos).

"Eu acho que, por mais dois anos, dá para ficar assim. Mas, a longo prazo, não. Fica velho. Se não mudar em algum momento não há motivo para ficar aqui", disse.

Chefe da Haas, Guenther Steiner durante a classificação deste sábado em Sóchi, na Rússia (Foto: Getty Images)


"Só funciona se você puder sentir o prazer de competir por pódios e vitórias. Não há razão para seguir depois de um certo tempo, sabe? Para que perder tempo trabalhando loucamente, dia e noite, voando para, sei lá 21 países ao redor do mundo, sabendo que você só pode alcançar o mesmo que no último ano? Não há razão. Não há razão", completou o dirigente.

A Haas terminou em quinto a temporada de 2018 entre os construtores, sua melhor posição na curta história de três anos. A equipe é uma das defensoras mais vocais do teto orçamentário, que deve entrar em vigor a partir de 2021 na categoria. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube