F1

Chefe da Ferrari diz que “era fácil perceber” estratégia certa no Japão e vê erro no Q3 como “inaceitável”

Maurizio Arrivabene não engoliu a decisão da equipe de começar o Q3 com intermediários, não aproveitando uma pista virtualmente seca. O dirigente se diz “irritado e desapontado” com erro que colocou Kimi Räikkönen em quarto e Sebastian Vettel em oitavo

Warm Up / Redação GP, de Berlim
Maurizio Arrivabene, chefe da Ferrari, não vê explicação para o erro da Ferrari no Q3 do treino classificatório do GP do Japão, realizado neste sábado (6). A equipe falhou na interpretação das condições climáticas de Suzuka, mandando Sebastian Vettel e Kimi Räikkönen para a pista com pneus intermediários quando o asfalto estava predominantemente seco. Para Arrivabene, era “fácil perceber” a decisão certa em tal situação.
 
"Do jeito que as coisas andaram, não acho que a pole-position estava ao nosso alcance. Mesmo assim, o que aconteceu hoje foi inaceitável”, disse o dirigente. “Estou muito irritado, e não é a primeira vez que esses erros acontecem. Não quero apontar o dedo para alguém, mas estou muito desapontado”, seguiu.
 
“Ao contrário de outras ocasiões, hoje era fácil perceber o que estava acontecendo na pista. Todos nossos adversários saíram com slicks. Algumas vezes pode ser mais útil tirar os olhos dos computadores para ver a pista e usar o senso comum. É verdade que somos uma equipe de pessoas jovens, então provavelmente estamos sentindo falta de alguém experiente e capaz de ler situações para corrigir rapidamente”, continuou.
Sebastian Vettel (Foto: Ferrari)
Ao colocar os pilotos com intermediários no começo do Q3, a Ferrari desperdiçou as melhores condições de pista. Isso porque, na sequência, a equipe colocou supermacios quando a garoa voltava a cair. Isso significa que Räikkönen conseguiu o quarto melhor tempo, enquanto Vettel foi nono o melhor após escapar da pista. O alemão, que larga em oitavo por punição aplicada a Esteban Ocon, escapou das críticas do dirigente.
 
“Sebastian [Vettel] está calmo e no passado ele já esteve em situações semelhantes. Ele já precisou recuperar 31 pontos para ser campeão, então acho que ele sabe como lidar com situações difíceis”, encerrou Arrivabene.
 
Conforme se esperava, a pole ficou com Lewis Hamilton. O britânico chega ao Japão com 50 pontos de vantagem e já aparece em condições de ampliar a folga rumo ao quinto título na F1.