F1

Chefe da Ferrari nega ter dado vantagem a Vettel, mas entende que “Leclerc está certo em ficar chateado”

Mattia Binotto justificou a ordem dada a Charles Leclerc para abrir passagem para Sebastian Vettel no GP da China. Para o ítalo-suíço, “a Mercedes estava mais rápida, e tentamos dar a Seb a melhor oportunidade”. Apesar da justificativa, o dirigente negou que tenha priorizado um piloto em detrimento de outro

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
Assim como Sebastian Vettel, Mattia Binotto, chefe da Ferrari, disse que a ordem de equipe para Charles Leclerc abrir passagem para o alemão na volta 11 do GP da China foi uma manobra para tentar com que um dos carros chegasse perto das Mercedes de Lewis Hamilton e Valtteri Bottas. No fim das contas, a escuderia prateada fez a dobradinha no GP 1000 da Fórmula 1 neste domingo (14), Vettel terminou sua primeira do ano no pódio e Leclerc foi o quinto, tendo sido superado também por Max Verstappen, da Red Bull.
 
Nas entrevistas coletivas, Vettel partiu em defesa da Ferrari e disse que a ordem de equipe foi justa. Leclerc, que durante a corrida se mostrou muito insatisfeito por ouvir o pedido para deixar o alemão passar, evitou polemizar, mas ao mesmo tempo aproveitou para cutucar a escuderia.
Charles Leclerc cumpre ordem da Ferrari e deixa Sebastian Vettel passar (Foto: Reprodução)
Por sua vez, Binotto entende que a ordem que saiu do pit-lane foi considerando a força da Mercedes e a necessidade de o carro mais rápido da equipe italiana ter a chance de se aproximar de Hamilton e Bottas. No caso, Vettel.
 
“Entendo o sentimento de Charles, mas naquele estágio da corrida a Mercedes era a mais rápida, e tentamos dar a Seb a melhor oportunidade. Não foi uma vantagem para um piloto”, defendeu o dirigente.

 
“Se Charles está chateado, ele está certo em ficar chateado e nós devemos aceitar isso”, salientou.
 
O chefe da Ferrari foi indagado sobre o potencial da Mercedes em uma pista teoricamente favorável à Ferrari por conta das longas retas. De certa forma, Binotto se mostrou até surpreso com a superioridade das Flechas de Prata em Xangai.
 
“A Mercedes foi rápida em todo o fim de semana e eles provaram ser os mais rápidos hoje. De uma corrida para outra a situação muda, e parece que cada corrida é diferente”, disse.
 
“Nós não temos uma ideia sobre o motivo de nós não podermos responder à velocidade deles, mas precisamos voltar para Maranello e analisar os dados”, complementou.