Chefe da Ferrari se decepciona e diz abandono duplo em Monza “dói mesmo”

Mattia Binotto não esconde a tristeza causada pelo GP da Itália. A Ferrari não pontuou pela segunda vez seguida, agora com Sebastian Vettel perdendo freios e Charles Leclerc batendo

Quase todos os GPs são difíceis para a Ferrari em 2020, mas o da Itália foi particularmente sofrido. Correndo em casa, no histórico traçado de Monza, a equipe sofreu abandono duplo após andar mal o fim de semana inteiro. O chefe Mattia Binotto já nem tenta esconder: apesar da tentativa de aprender e evoluir, o momento é de dor.

“Abandonar com os dois carro é a pior forma de encerrar um fim de semana muito difícil”, disse Binotto. “Depois da Bélgica, sabíamos que seria difícil aqui também, e assim foi. Isso ficou claro na classificação de ontem [sábado], mas não ver a bandeira quadriculada com os dois carros dói mesmo. É ainda mais decepcionante que o abandono do Sebastian seja por conta de confiabilidade. Problemas assim, no sistema de freios, não deveriam acontecer”, frisou.

Sebastian Vettel abandonou após apenas seis voltas, quando o freio traseiro do carro parou de funcionar e começou a pegar fogo. Charles Leclerc foi até o 23° giro, quando errou sozinho na Parabólica e bateu forte. Os dois tinham rendimento pífio até então.

Mattia Binotto
Mattia Binotto sofre com a fase terrível da Ferrari (Foto: Ferrari)

A Ferrari parte agora para o GP da Toscana, em Mugello. É uma corrida especial: além de ser novamente em solo italiano, é o milésimo GP da escuderia na F1. É isso que leva Binotto a não desistir.

“É uma temporada muito difícil, mas são dificuldades assim que te tornam mais forte. Precisamos olhar adiante. Temos lições importantes para tirar disso e para construir nosso futuro. Dito isso, não podemos desistir de forma alguma. Vamos dar nosso melhor em Mugello. É uma corrida especial, sendo nosso milésimo GP na Fórmula 1”, encerrou.

Sem pontos pelo segundo GP seguido, a Ferrari compromete ainda mais sua posição no Mundial de Construtores. A equipe foi ultrapassada pela Renault e agora aparece em sexto. A última temporada com os italianos fora do top-5 foi a de 1980.

Enquanto a Ferrari empacotava equipamentos para deixar Monza mais cedo, a F1 vivia momentos especiais. Uma corrida épica acabou com vitória de Pierre Gasly, com Carlos Sainz Jr. e Lance Stroll também no pódio.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube