F1

Chefe da Haas vê Fittipaldi confiante e elogia gana de estar na F1: “Muito jovem rejeita ser piloto de testes”

Pietro Fittipaldi estreou pela Haas na terça-feira de testes coletivos da F1 em Abu Dhabi e ganhou elogios do chefe Guenther Steiner. O italiano se disse impressionado com a forma como Pietro se mostrou interessado em se tornar piloto de testes e desenvolvimento para estar no entorno de uma equipe da F1
Warm Up / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro
 Pietro Fittipaldi (Foto: Haas)
Após o primeiro dia de testes coletivos organizados em Abu Dhabi pela Pirelli, nesta terça-feira (27), o chefe da Haas exaltou a confiança de Pietro Fittipaldi, que mostrou vontade de ser piloto de testes e desenvolvimento. Segundo Guenther Steiner, é uma qualidade cada vez mais rara nos jovens pilotos em busca de uma vaga na F1.
 
Fittipaldi, que estreou num carro de F1 exatamente hoje, com o VF-18, buscou a vaga de reserva. Steiner se mostrou impressionado com isso.
 
"Ele realmente quer fazer isso. Há muito piloto jovem que não quer ter esse papel de piloto de testes e simulador, porque é longe dos holofotes", afirmou.
Chefe da Haas, Guenther Steiner durante a classificação deste sábado em Sóchi, na Rússia (Foto: Getty Images)
"Eu achei isso muito bom. Você não encontra muita gente com essa idade que queira fazer isso. Os jovens dizem 'eu preciso estar em corridas para mostrar como eu posso ser bom'. Creio que ele é bem confiante e sabe o quão bem ele pode correr", elogiou.
 
"Acredito que ele queira aprender sobre a F1, estar em torno das arenas e aprender como funciona e como guiar um carro de F1, porque é difícil jovens pilotos guiarem um F1. É por isso que estamos comprometidos com ele. [Eu disse] que ele ia testar o carro, não apenas andar no simulador, porque isso não seria bom para nós, não dá para relacionar ao carro real", explicou.
 
"Ele vê isso como uma pedra fundamental na estrada para a F1, e é isso que estamos dando. É melhor que ir para a F2, onde muita coisa depende de quanto seu time é, como seu carro é, então ele prefere assim", encerrou.
 
O chefão da Haas também afirmou que exigiu que Pietro esteja disponível para os fins de semana da F1. Não tendo conflito com a F1, pode correr onde bem entender.
Pietro Fittipaldi (Foto: Haas)


"Eu disse que ele podia correr o quando quisesse contanto que não atrapalhe a F1. Falei que se ele quisesse fazer algumas corridas e houver conflito, vamos encontrar uma solução, mas se fosse para fazer apenas 50% do trabalho, então não, procuraríamos outra pessoa", contou.
 
Uma questão que se apresenta é a quantidade de pontos que Fittipaldi ainda precisa conquistar para receber a superlicença - os planos para 2018 foram atrapalhados pelo acidente que causou as fraturas das duas pernas durante um treino para as 6 Horas de Spa-Francorchamps. Mas Steiner ainda não se preocupa muito. 
 
"É um problema que vamos enfrentar quando ele chegar. Pietro já tem alguns [pontos] por ter ganho a World Series, então não precisa de muitos", encerrou.