Chefe da Lotus considera contratar Kubica para 2014 e se esquiva sobre futuro de Räikkönen

Eric Boullier, comandante da Lotus, avalia a chance de trazer de volta à equipe Robert Kubica. O dirigente francês evitou falar sobre o futuro de Kimi Räikkönen na equipe e falou também sobre as possibilidades de Davide Valsecchi em ser titular na próxima temporada


Robert Kubica poderá guiar novamente o carro preto e dourado da Lotus em 2014. A afirmação é do comandante da escuderia de Enstone, Eric Boullier. Na visão do dirigente francês, Kubica estará na lista de candidatos a um cockpit para a próxima temporada se estiver 100% recuperado das suas lesões na mão e braço direito. No último fim de semana, o piloto polonês fez sua estreia no Europeu de Rali, nas Ilhas Canárias, e sofreu um acidente quando liderava a prova.

Kubica defendeu apenas duas equipes ao longo de sua carreira na F1: BMW Sauber, entre 2006 e 2009, e Renault, antecessora da Lotus, entre 2010 e 2011, quando participou apenas da pré-temporada, mas sofreu um gravíssimo acidente no Rali Ronde di Andora em 6 de revereiro daquele ano e, desde então, está afastado da categoria.
Kubica pode fazer parte da lista dos candidatos da Lotus à vaga de titular em 2014 (Foto: Getty Images)

Hoje com 28 anos, Robert chegou a flertar com o DTM e testou um carro da Mercedes no começo do ano no circuito de Valência, na Espanha. No entanto, a paixão pelos ralis acabou falando mais alto. Depois de disputar competições regionais na Europa, Kubica foi contratado pela Citroën e disputará o Europeu e o Mundial de Rali com um DS3 RRC [Regional Rally Car].

Ao site russo ‘F1 News’, Boullier considerou a possibilidade de Kubica voltar a defender a equipe na próxima temporada. “Se Robert estiver completamente pronto para voltar à F1, ele estaria dentro da nossa lista de pilotos”, assegurou o dirigente.

Com a lesão de Kubica em 2011, a Renault ficou perdida e sem a presença de um líder. O time contou com Nick Heidfeld, Vitaly Petrov e Bruno Senna, mas não se encontrou naquele ano. Assim, a equipe de Enstone, já rebatizada de Lotus, renovou sua dupla de pilotos e trouxe do WRC Kimi Räikkönen — que, curiosamente, fez o caminho inverso ao de Kubica — para liderar o time, que passou a ser um dos mais bem-sucedidos do grid.

Mas ao falar sobre o futuro de Kimi, cujo contrato vai até 2013, Boullier despistou. “É uma boa pergunta. Não sei a resposta”. No entanto, o francês teve mais respostas ao falar sobre o atual reserva da Lotus, Davide Valsecchi, atual campeão da GP2, terceiro piloto da Lotus e possível titular no ano que vem.

“Ele tem mais opções do que qualquer outro”, disse Boullier. “Temos planos para esta temporada e veremos como será seu trabalho dentro e fora da pista. Ele não fará parte em nenhum GP, mas realizará testes com o carro do ano passado”, encerrou.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube