F1

Chefe da Lotus diz que decisão entre Massa e Hülkenberg só sai após acordo com grupo asiático

Eric Boullier disse que no momento a prioridade da equipe inglesa é concluir o negócio com o grupo de investimentos Infinity e garantir as receitas para continuar sendo competitiva na F1 nos próximos campeonatos

Warm Up / Redação GP, de São Paulo

Felipe Massa ou Nico Hülkenberg? De acordo com o chefe de equipe da Lotus, Eric Boullier, a resposta para essa questão ainda vai demorar. O dirigente afirmou que só vai decidir quem será o substituto de Kimi Räikkönen na temporada 2014 da F1 após fechar a parceria com o grupo de investidores Infinity e garantir o orçamento necessário para as próximas temporadas.

“Eu quero terminar o que queríamos mostrar a Kimi, mas não conseguimos fazer isso a tempo”, disse o dirigente à revista inglesa ‘Autosport’. “Quero fechar isso porque é importante para a equipe. Vai nos dar a estabilidade financeira por mais que cinco anos e também vai nos fazer avançar dois passos em termos de receitas, o que precisamos depois de dois anos de altos e baixos”, declarou.
Boullier disse que a decisão sobre novo piloto ainda vai demorar (Foto: Lotus/ Andrew Ferraro/LAT Photographic)

Desde a metade do ano, a Lotus já vinha negociando com o Infinity, chegando a anunciar o acordo como fechado. Apesar disso, o dinheiro nunca chegou à escuderia. Por causa disso, Räikkönen cansou de esperar e acertou com a Ferrari para o ano que vem. Para evitar passar pela mesma situação, a equipe inglesa quer agora primeiro quer garantir as novas receitas antes de escolher o novo piloto.

“Depois disso, nós podemos pensar sobre nossos pilotos não só para o ano que vem, mas também para 2015, 2016 e 2017. Então, devemos procurar por um jovem que possa continuar com a gente por três anos ou então apostamos uma temporada e depois vemos quem está disponível no mercado?”, acrescentou Boullier.

Embora não tenha deixado claro, o chefe da Lotus afirmou que Massa pode servir como um tampão no ano que vem, já que nomes como Jenson Button e Fernando Alonso podem estar disponíveis para 2015.

Mesmo assim, o brasileiro tem um trunfo importante para acertar com a escuderia de Enstone, que é o apoio de alguns patrocinadores. Só que Boullier já afirmou que vai decidir o substituto de Räikkönen no mérito e não no tamanho da conta bancária.

“Eu quero concluir a situação financeira para me certificar de que escolheremos o piloto no mérito. E, em seguida, se formos uma equipe atrativa com uma dupla de pilotos atrativa, poderemos arrumar alguns patrocinadores. Mas essa não é a prioridade”, afirmou.

O dirigente, por fim, deixou claro que apenas uma vaga está aberta na Lotus. A outra, de Romain Grosjean, seguirá com o próprio piloto francês, caso ele consiga ter bons resultados frequentemente, como vem fazendo nas últimas etapas.

“Seria um grande erro substituí-lo, mas ele precisa continuar indo bem. Já são cinco corridas seguidas com bons resultados. Se ele consegue fazer cinco, ele pode fazer dez. E se consegue dez, então poderá continuar pelo resto da vida. Então esse é o pior que desejo para ele: continuar assim, porque terá um futuro brilhante”, encerrou.