Chefe da McLaren diz que chassi melhorou mais que motor em 2017 e celebra chegada da Renault

A relação entre McLaren e Honda seguirá sendo assunto por muito tempo. Mesmo com 2017 já finalizado, nem os importantes membros da equipe conseguem fugir do assunto que esteve em voga na última temporada. Desta vez, foi Zak Brown que 'cutucou' a ex-fornecedora de motores do time do qual é chefe

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O ano já mudou, mas o assunto que definiu a temporada 2017 da McLaren na F1 segue em voga. Desta vez, já no começo de 2018, foi Zak Brown, chefe da equipe, que manteve o assunto Honda vivo.

Para Brown, a McLaren evoluiu durante toda a última temporada, mas o "chassi mais que o motor". E, por isso,  ele não esconde a felicidade em ter a Renault como nova fornecedora de motores do time o qual comanda.

"Nossa moral nunca baixou. Estávamos mais friustrados do que desmoralizados", comentou, sobre as dificuldades que a McLaren teve durante todo 2017. "O carro foi ficando mais rápido durante o avanço do ano. O motor também melhorou, mas nós (excluindo a Honda) melhoramos como se estivéssemos brigando pelo título."

Zak Brown chegou à McLaren no final de 2016 (Foto: McLaren)

Durante a mesma entrevista para a revista 'Racer', Brown celebrou a chegada da Renault. "A energia, o entusiasmo e a emoção estão em seus pontos mais altos nos últimos cinco anos (dentro da equipe)", disse.

"Estamos trabalhando duro, emocionados. Temos uma nova decoração, uma nova garagem, chegará um novo motor, temos os pilotos que queríamos", seguiu. "Quem dera (a corrida na) Austrália fosse amanhã", completou o dirigente, que vai para seu segundo ano como chefe da McLaren.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube