F1
09/01/2018 08:21

Chefe da McLaren fala em visual repaginado para 2018 e coloca em dúvida uso da cor laranja

Diretor-executivo da McLaren, Zak Brown evitou detalhes, mas assegurou que o carro de 2018 terá um visual diferente. Dirigente falou até na maior mudança do grid
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Stoffel Vandoorne (Foto: McLaren)

Diretor-executivo da McLaren, Zak Brown evitou dar detalhes, mas garantiu que o time de Woking vai aparecer com um visual repaginado em 2018. A escuderia inglesa vai abrir uma nova fase nesta temporada, já que passará a contar com motores Renault depois de três anos de parceria com a Honda.
 
Em 2017, a McLaren apresentou uma pintura que misturava as cores laranja, branca e preta, já como parte de uma estratégia para revigorar a marca do time após a saída de Ron Dennis. Agora, Brown promete mais mudanças.
Zak Brown prometeu um visual novo para a McLaren em 2018 (Foto: McLaren)

“O carro não vai se parecer com o do ano passado”, disse Brown à publicação britânica ‘Autosport’. “Toda nossa marca, a visibilidade da McLaren, irá para o próximo nível e isso vai ser empolgante”, continuou.
 
“Nós sabemos como muitos dos outros times vão parecer, mas tomara que as pessoas vejam a maior mudança dentro e fora da pista na McLaren indo para a Austrália”, torceu. 
 
Questionado se a cor laranja vai permanecer, Brown respondeu: “Haverá um aceno para a nossa história, mas ainda não definimos a pintura, porque muito disso depende dos patrocinadores”.
 
A equipe de Woking ainda não conseguiu garantir um patrocinador principal, mas Brown afirmou que o time está empenhado em conseguir um “parceiro principal” e não um “parceiro título” para dar mais exposição ao patrocinador e proteger a marca.
 
“Nós precisamos de um parceiro do nível título. Tudo que fiz foi deixar o vernáculo do título como principal e olhamos para todos os nossos ativos comerciais, que não é só o carro de corrida, mas nossas outras formas de corrida e coisas como a nossa sala de construção e coisas dessa natureza, e nós buscamos a melhor maneira de comercializar o mundo da McLaren”, falou. “Fazer esse exercício desenvolveu um plano que não necessita de um parceiro título”, justificou.
 
“Ainda exige um ‘parceiro principal’, não só um ‘parceiro título’. Eu sei que isso é semântica, mas é realmente para proteger o nome da McLaren. Isso é tudo que estou tentando fazer e nos manter como McLaren”, insistiu. “Eu realmente não sinto que tem muito valor no nome do patrocinador fazer parte do time, mas acho que isso diminui levemente o valor do nome do time quando está sendo compartilhado”, opinou.
 
Ainda, Brown explicou que o futuro comercial do time será positivo, com outras companhias se unindo à McLaren em 2018.
 
“Nós fechamos com três parceiros até aqui que vamos começar a anunciar, tomara que com mais alguns”, declarou. “Não vamos estar com tudo vendido [em 2018], isso leva tempo, mas estou realmente feliz com o rumo do time, nosso line-up de pilotos e com as coisas fora da pista, o lado comercial, nosso engajamento com os fãs”, listou.
 
“É uma ótima companhia com uma grande marca que tem sido insuficientemente alavancada nos últimos anos”, concluiu.
EM BUSCA DO SONHO DA F1

PIETRO FITTIPALDI REVELA QUE NEGOCIOU COM A SAUBER PARA 2018