carregando
F1

Chefe da McLaren prevê etapas europeias do calendário “todas com portões fechados”

Zak Brown também é defensor da ideia de realizar mais de um GP no mesmo circuito, como é a proposta da F1 para Silverstone. O dirigente norte-americano vê a situação da categoria “extremamente difícil” em razão do pouco dinheiro circulando por não haver corridas

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
Tal qual o mundo do esporte como um todo, a F1 segue impossibilitada sequer de prever quando (e se) vai poder cumprir parte do calendário para a temporada 2020. Oficialmente, foram cancelados os GPs da Austrália e de Mônaco, enquanto as etapas de Bahrein, Vietnã, China, Holanda, Espanha, Azerbaijão e Canadá foram adiadas. Em teoria, o campeonato está marcado para começar em 28 de junho com o GP da França, partindo para o GP da Áustria uma semana depois. Contudo, a ampliação das medidas restritivas a eventos nos dois países coloca as corridas em xeque.
 
Nesta sexta-feira (17), a Áustria, que foi colocada como provável ponto de partida da temporada na reunião promovida pela F1 na quinta-feira, ampliou a suspensão de grandes eventos pelo menos até 31 de agosto. A restrição, que ia até o fim de junho, teoricamente impede a realização da corrida, marcada para 5 de julho. Mas Zak Brown, chefe da McLaren, entende que a prova no Red Bull Ring, como em todas as previstas para a Europa, sejam realizadas com portões fechados.
 
Mesmo diante do ápice da pandemia do coronavírus no Reino Unido, Brown acredita que o GP da Inglaterra vai ser realizado na data prevista, 19 de julho. Entretanto, sem a presença do público.
Zak Brown defende que todas as corridas na Europa sejam com portões fechados em 2020 (Foto: McLaren)
“Tudo é muito provisório, mas o GP da Inglaterra seria realizado em sua data programada, mas com portões fechados. De fato, parece que possivelmente todas as etapas europeias vão ser celebradas em tais circunstâncias”, salientou o dirigente norte-americano em entrevista à emissora BBC.
 
“Com o calendário condensado, qual é a melhor maneira de realizar o máximo possível de corridas? Uma das ideias é potencialmente ter vários eventos no mesmo local, sendo Silverstone um deles”, declarou.
 
 
Brown se mostra bastante preocupado com os rumos da F1 diante de um cenário econômico sem precedentes.
 
“É extremamente difícil. Há pouca ou nenhuma receita entrando. Você sabe, não estamos competindo. As contribuições que fazem os promotores, parceiros, patrocinadores, têm sido ótimas, mas estamos sob intensa pressão”, disse o CEO da McLaren, que recentemente anunciou a redução dos vencimentos dos funcionários para conter custos em meio a crise.
 
“Então, fechamos as torneiras com qualquer dinheiro que estamos ganhando até quando estivermos prontos para começar a correr novamente”, concluiu.

Paddockast #57
MARIANA BECKER e os bastidores da F1


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 
☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.