Chefe da McLaren vê limites de pista “relaxados” no Bahrein e pede consistência

Andreas Seidl, comandante da McLaren, é mais um que acha que a direção de prova no Bahrein não foi muito clara em relação aos limites de pista - situação que decidiu a vitória no duelo entre Max Verstappen e Lewis Hamilton

A polêmica dos limites da curva 4 da pista do Bahrein já vem desde o ano passado e segue se fortalecendo, mesmo dias após o GP local, disputado no último final de semana: se Mercedes e Red Bull pediram clareza após verem seus pilotos envolvidos na disputa que decidiu a vitória, agora até a McLaren se mostrou incomodada.

Andreas Seidl, o chefe do time laranja, comentou que a F1 e a FIA não deixaram as informações sobre aquele ponto da pista claras o suficiente para o GP que abriu a temporada, principalmente em relação à postura que tinham em 2020.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

MAX VERSTAPPEN; LEWIS HAMILTON; GP DO BAHREIN; F1
Max Verstappen ultrapassou os limites da curva 4 para superar Lewis Hamilton (Foto: Reprodução)

“Ano passado, a cada prova clarificavam cada detalhe para cada pista. Não é o ideal, mas cada pista é um pouco diferente, então eu entendo o ponto pensando nos fãs. Não é fácil. Mas puramente do ponto esportivo, a regra precisa ser clara para cada pista e cada curva e ser monitorada consistentemente, policiada consistentemente, da mesma maneira”, disse.

Sobre os limites, então, para o GP do Bahrein, o comandante da McLaren não gostou de como a direção de prova lidou: “Preciso checar novamente, porque em meu entendimento, eles deletaram várias voltas na classificação. Mas, n corrida, já que não havia muito ganho de vantagem, pensei que estavam mais relaxados.”

“Claro, se você ganha vantagem em termos de posição, se beneficiando em uma briga, você tem de devolvê-la (como Max Verstappen precisou fazer em relação a Lewis Hamilton, que acabou com a vitória). Mas meu entendimento é de que foi diferente de outas pistas, quando você conta três vezes o mesmo erro e aí dá a punição, porque passa a ser uma vantagem”, concluiu Seidl.

A F1 volta no dia 18 de abril, com a segunda etapa da temporada: o GP da Emília-Romanha, em Ímola.

LEIA TAMBÉM
+O limite da curva 4: como direção de prova confundiu pilotos durante GP do Bahrein

+Opinião GP: Mercedes e Red Bull se equivalem e fazem F1 ter um campeonato real em 2021

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar