Chefe da Mercedes admite que rivalidade entre Hamilton e Rosberg foi “mais intensa do que benéfica”

Chefão da Mercedes, Toto Wolff fez uma análise dos anos de rivalidade entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg na equipe prata e admitiu que a difícil relação dos dois pilotos foi mais intensa do que benéfica. Mas acha que o risco de ter os melhores pilotos vale a pena

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A uma semana do início da temporada 2017 da F1, o chefão da Mercedes, Toto Wolff, fez um balanço do último campeonato, quando, mais uma vez, teve de lidar com a extrema rivalidade entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg. A disputa entre os dois pilotos foi tão feroz que chegou a gerar um mal-estar entre a equipe alemã e o inglês, além também de desgastar além do limite a relação entre o tricampeão e o alemão, que acabou por deixar o esporte depois de vencer o rival e, enfim, celebrar o título mundial. 

 
O dirigente austríaco não hesita ao falar do difícil gerenciamento de dois pilotos fortes sob o mesmo teto. E admite que nem sempre ter dois grandes nomes na mesma garagem é, de fato, um benefício, mas acha que o risco vale a pena. "Quem aceitaria se contentar com o segundo melhor apenas para ter um relacionamento mais fácil?", questionou Wolff em declaração ao jornal 'The Guardian'. 
 
"Você sempre vai querer ter o melhor, ter os dois melhores pilotos tentando tirar o máximo do carro em dias difíceis, mas aceitando que, em algum momento, vai haver controvérsia e que correr com os melhores também pode provocar alguns solavancos" completou.
Toto Wolff (Foto: Mercedes)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
O comandante da esquadra prateada deixou claro que, no fim das contas, os objetivos são os mesmos, mas que é preciso respeitar o desejo de cada piloto. "Os melhores nunca são fáceis. E isso os tornar melhor", afirmou. "Depois de quatro anos, nós já conhecemos muito bem e meio que temos os mesmos objetivos. Nós estamos nessa jornada juntos e a maioria de nossas metas estão alinhadas na maior parte do tempo, mas nem sempre – e reconhecemos isso", completou.

 
Wolff, então, reconheceu que a difícil relação entre Hamilton e Rosberg se tornou cansativa e tomou tempo e recursos da equipe ao longo dos anos. "No final, foi mais intenso do que benéfico. O que era bom no começou, porque eles já se conheciam há 20 anos, se transformou em outra coisa que nem sequer sabíamos. Agora, com Valtteri a relação começa do zero", disse Toto, se referindo ao substituto de Rosberg, o finlandês Valtteri Bottas. 
 
Hamilton em modo paz e amor com a Mercedes
 
A disputa do título do ano passado foi intensa e dramática. Embora Hamilton tenha vencido mais que Rosberg, o alemão levou a taça com cinco pontos de vantagem. Na prova final, o inglês ainda tentou uma estratégia controversa para tentar ficar com o campeonato, o que em um primeiro momento não foi bem visto pela chefia da Mercedes. A esquadra, no entanto, se retratou após as críticas de Lewis e admitiu que errou ao tentar dar ordens durante a etapa decisiva, em Abu Dhabi. Logo depois, Rosberg anunciou a aposentadoria. 
 
Falando sobre os acontecimentos do fim de 2016 e do início deste ano, Hamilton revelou que sua relação com a Mercedes está melhor e mais forte. "Estou me sentindo em um lugar positivo com a equipe", contou.
 
"Nós conversamos sobre um monte de coisas durante os testes. Eu fui capaz de tirar algumas coisas do meu peito e agora estamos nos comunicando melhor do que nunca. E continuamos a crescer junto", ressaltou o britânico, que tenta nesta temporada o quarto título mundial.
 
PADDOCK GP #69 DEBATE ABERTURA DA INDY, TESTES DA F1 E MOTOGP E LEMBRA JOHN SURTEES

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube