F1

Chefe da Mercedes alerta para mudanças no regulamento e avisa: “Podemos perder o título neste ano”

Toto Wolff entende que as mudanças na aerodinâmica dos carros para 2019 podem nivelar ainda mais o esporte e encerrar de vez a dinastia da Mercedes, que dita os rumos da F1 desde o início da nova Era Turbo
Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
A Mercedes começa 2019 novamente como a equipe a ser batida na F1, patamar que a escuderia prateada alcançou desde 2014, na esteira da nova Era Turbo. Desde então, foram cinco títulos do Mundial de Construtores e outros cinco do Mundial de Pilotos — sendo quatro com Lewis Hamilton e um com Nico Rosberg.
 
Mas Toto Wolff, chefe da Mercedes, lembrou que as mudanças no pacote aerodinâmico da F1 podem mudar a ordem de forças e, assim, encerrar a dinastia da equipe de Brackley. 
 
Entre as novidades, estão a asa traseira, mais alta e larga, assim como a asa dianteira, mais larga e simplificada. A intenção é facilitar as ultrapassagens e tornar o esporte como um todo mais empolgante para o público.
Toto Wolff está em alerta com as mudanças na aerodinâmica dos carros da F1 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Na visão do chefe da equipe pentacampeã, as mudanças sempre visam uma mudança na hierarquia da F1, pontuando situações históricas como em 2014, quando a mudança no regulamento de motores encerrou a dinastia da Red Bull e iniciou outra, a da Mercedes.
 
“Cada vez temos menos vantagem”, reconheceu Wolff em entrevista ao site alemão ‘Motorsport-Total’. “Quando uma equipe domina, as regras sempre mudam para prejudicar a equipe. Com as mudanças de aerodinâmica de 2019, eles tentam mudar a hierarquia”, disse.
 
“Vimos essa situação antes com a Ferrari e, claro, com a Red Bull. Devemos continuar motivados e definirmos os objetivos adequados. Nosso trabalho se torna mais difícil a cada ano. Determinamos um limite, e isso motiva nossos rivais”, acrescentou o dirigente austríaco.
 
Por fim, Wolff fez um novo alerta, atentando para a capacidade das rivais em tirar melhor proveito das novas regras. “Temos de reconhecer o quão forte está a concorrência e reconhecer que podemos perder o título neste ano”, concluiu.
 
A Mercedes vai apresentar o carro com o qual vai tentar o hexacampeonato em 2019, o W10, nesta quarta-feira (13), em Silverstone.