F1

Chefe da Mercedes diz que Vettel “está absolutamente certo” e que teria “arremessado a placa contra o carro”

Chefe da Mercedes, Toto Wolff defendeu a posição dos comissários em Montreal e avaliou que o regulamento da Fórmula 1 deve ser cumprido à risca. O dirigente, no entanto, se disse favorável à discussão para mudar o código e permitir disputas mais duras

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Chefe da Mercedes, Toto Wolff concordou com a sanção dos comissários da Fórmula 1 a Sebastian Vettel no GP do Canadá, mas nem por isso deixou de ser compreensivo com a reação enfurecida do piloto da Ferrari.
 
Na prova em Montreal, Vettel foi punido pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) pelo que os comissários julgaram como pilotagem perigosa após o #5, na volta 48, escapar da pista no trecho entre as curvas 3 e 4 e fechar Lewis Hamilton no retorno à pista.
 
Toto Wolff defendeu a decisão dos comissários (Foto: Mercedes)
Paddockast #21
A primeira vez a gente nunca esquece: as vitórias dos maiores nomes do esporte



Falando à emissora inglesa Sky Sports, Wolff foi compreensivo com a postura de Vettel e admitiu que teria feito ainda pior. 
 
“Antes de mais nada, Sebastian está absolutamente certo. Se fosse comigo, eu teria chutado a droga da placa e arremessado-a contra o carro”, disse Wolff. “As emoções são lógicas e são boas para o esporte. E em todas as decisões típicas, há uma controvérsia”, seguiu.
 
Mesmo se assumindo tendencioso, Wolff avaliou que o regulamento deve ser cumprido à risca e, por isso, os comissários deveriam ser apoiados em suas decisões.
 
“Eu, claro, sou tendencioso em favor da Mercedes e existe uma regra que diz que você tem de deixar a largura de um carro quando você sai da pista, e acho que a reação instintiva dele foi proteger a posição, e talvez tenha ido um pouco longe demais”, comentou. “Eu fiquei um pouco surpreso, porque não pensei que viriam com uma decisão controversa, mas, do ponto de vista claro da revelação, eles interpretaram o que é preto e branco”, considerou. 
 
“Os comissários estão lá, especialmente os comissários de prova, e precisam ser apoiados. Emanuele Pirro está lá, e não há ninguém mais profissional do que Emanuele. Acho que eles olharam o incidente e isso precisa ser respeitado”, frisou.
 
Na visão de Wolff, o que aconteceu no Canadá guarda semelhanças com o incidente entre Valtteri Bottas e Max Verstappen em Mônaco.
 
“Em Mônaco, Valtteri foi empurrado contra o pit-wall e eu achei que os 5s [de punição a Verstappen] foram um pouco brandos”, comentou. “Nós não reclamamos, simplesmente aceitamos. Às vezes, as decisões vão contra você, às vezes, vão a seu favor”, ponderou.
 
“Acho que todos nós gostamos de corridas duras. Se existe o toque, às vezes essa é a consequência”, falou Wolff. “Mas acho que precisamos confiar no regulamento, é assim que vamos correr e, se queremos mudar o regulamento em outras corridas, sou o primeiro pronto para isso. Fica um pouco mais perigoso e bem empolgante, mas contem comigo”, completou.


 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.