Chefe da Mercedes minimiza vantagem e diz que “números não falam toda a verdade”

Chefão da Mercedes, Toto Wolff fez uma análise da primeira parte de temporada da equipe alemã e acha que a confortável diferença para as adversárias não condiz com a realidade do campeonato. Para o austríaco, o time não deveria ter vencido em ao menos duas ocasiões

A Mercedes lidera com folga a atual temporada da Fórmula 1. A equipe alemã fechou a primeira parte do campeonato com dez vitórias em 12 corridas, sendo oito apenas de Lewis Hamilton. No Mundial de Construtores, o time tem 150 pontos a mais que a rival Ferrari, que segue na segunda colocação, à frente da Red Bull. Só que, apesar dos números exuberantes, o chefão Toto Wolff acha que o cenário confortável da esquadra não reflete a realidade dos fatos.
 
O dirigente austríaco coloca na balança o fato de a Mercedes ter vencido em provas que não deveria, dado o domínio de suas adversárias. "Antes de mais nada, os números não dizem toda a verdade. A Ferrari poderia ter vencido no Bahrein com Charles Leclerc e, no Canadá, Sebastian Vettel estava à nossa frente", afirmou.
 
De fato, a etapa barenita viu um grande desempenho da Ferrari. Mas uma queda de potência na segunda parte da corrida tirou a chance de vitória das mãos de Leclerc, além de uma rodada de Vettel após ultrapassagem de Hamilton. Já em Montreal, o tetracampeão liderava desde a pole, mas cometeu um erro enquanto era perseguido pelo inglês. Seb foi punido por ter cortado a pista e voltado sem segurança, o que abriu caminho para mais um triunfo do #44.
Toto Wolff acha que a Mercedes não é tão dominadora assim (Foto: Reprodução)

"Por isso, entendo que deveríamos ter menos vitórias. No entanto, o segredo está sempre em seguir lutando, correndo atrás das nossas metas. Só que um fator apenas não é suficiente para vencer, não basta ter um grande motor ou um grande carro. Todos os membros da equipe precisam trabalhar em harmonia, e isso vai da engenharia ao marketing, logística e comunicação, essa é a minha tarefa", completou.

 
Questionado sobre a Ferrari, Wolff rejeitou a ideia de avaliação o desempenho dos oponentes. "Não conheço a dinâmica interna deles, então não posso falar nada. Mas, em Maranello, há homens e mulheres que trabalham muito. Mattia Binotto é um cara técnico, altamente qualificado e inteligente", acrescentou.
 
A Fórmula 1 atravessa um momento de pausa para as férias de verão na Europa, e volta às pistas somente em setembro, com o GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.
 
Paddockast #29
ONE HIT WONDERS DO ESPORTE A MOTOR

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar