Chefe da Mercedes quer que F1 permita disputas “duras”, mas teme corridas de “carrinho de bate-bate”

Toto Wolff ainda concorda com a punição aplicada a Sebastian Vettel no Canadá, mas quer que a F1 reflita sobre as punições no futuro. O dirigente quer conversar com a categoria para que pilotos tenham mais liberdades – até certo ponto

O GP do Canadá, com Sebastian Vettel punido por deixar a pista e voltar de maneira considerada perigosa, reacendeu a discussão sobre punições na Fórmula 1. O chefe da Mercedes, Toto Wolff, não está 100% satisfeito com como a categoria aplica punições e lida com disputas por posição, mas faz uma ressalva: por mais que os pilotos precisem de liberdade, é importante tomar cuidado para evitar corridas em estilo “carrinho de bate-bate”.
 
“Acho que os pilotos são gladiadores em máquinas de alta tecnologia e queremos que eles briguem na pista”, disse Wolff. “Mesmo assim, é importante achar no futuro a linha entre corrida dura e carrinhos de bate-bate. Aí a FIA vira o centro da discussão sobre segurança, e até que ponto os pilotos podem disputar posição? Criar regras é um exercício difícil, e os vereditos nem sempre vão agradar todo mundo”, apontou.
 
Wolff já havia admitido que não era capaz de analisar o lance de Vettel sem levar em conta o ‘clubismo’ por ser dirigente da Mercedes. Mesmo assim, o dirigente entendeu a revolta do alemão, definida como “absolutamente certa”. Independente de posições pró ou contra, Toto acredita que a Fórmula 1 pode se beneficiar de tais polêmicas.
Lewis Hamilton e Sebastian Vettel: a polêmica que marcou o fim de semana (Foto: Mercedes)

“No Canadá, a interpretação foi de acordo com as regras. É claro que sendo pró-Mercedes, você provavelmente diz que foi a decisão certa, e sendo pró-Ferrari, você diz que a interpretação precisava ser outra. É um pouco como ser árbitro no futebol. As decisões sempre vão ser polarizadas. No fim das contas, acho que é ótimo para o esporte que a gente tenha essas emoções”, avaliou.

 
“Quero muito participar de discussões com os acionistas, a FIA e as equipes para permitir disputas mais duras, indo até o ponto em que a FIA aceitaria por conta dos padrões de segurança. Sou totalmente a favor de disputas duras por posição e isso precisa se refletir nas regras para que a gente tenha decisões diferentes dos comissários [em relação ao visto no Canadá]”, encerrou.
 
Lewis Hamilton foi o grande beneficiado da punição de Vettel, levando para casa a quinta vitória em sete GPs. Para Wolff, é o começo de campeonato dos sonhos: são sete vitórias até, em cinco delas conseguindo também dobradinhas.

 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar