F1

Chefe da Mercedes revela ligação de Todt para saudar por entrada no “clube dos penta”. E se emociona

O diretor-executivo da Mercedes, Toto Wolff, falou à imprensa cerca de 1h30 após conquistar o quinto Mundial de Construtores seguido da equipe. Durante a entrevista acompanhada pelo GP, deixou clara a admiração pela 'súper Ferrari' dos anos 2000 e relatou uma ligação especial que recebeu no meio da festa: do chefe daquela Ferrari e hoje presidente da FIA, Jean Todt
Warm Up, de São Paulo / PEDRO HENRIQUE MARUM, de Interlagos / FELIPE NORONHA, de Interlagos
 Toto Wolff (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

O domingo do GP do Brasil consagrou um momento histórico no Mundial de F1: a Mercedes confirmou o quinto título de Construtores seguido e igualou o recorde da Ferrari entre 2000 e 2004. E o chefe daqueles anos ferraristas deixou o diretor-executivo da Mercedes emocionado.
 
Em entrevista que contou com a presença do GRANDE PRÊMIO logo após o fim da prova em Interlagos, Toto Wolff escancarou a admiração pelo time vencedor da Ferrari do começo dos anos 2000 e que tinha no chefe Jean Todt, no diretor-técnico Ross Brawn e em Michael Schumacher seus três pilares esportivos. Antes da entrevista, foi exatamente Todt, atual presidente da FIA, quem telefonou para Wolff.   
 
"Sinto-me muito feliz e sortudo em estar nessa equipe. Lembro, antes de eu entrar na F1, daqueles anos da Ferrari com Jean, Michael e tantos outros que contribuíram para o sucesso. Aquilo era algo que eu admirava e almejava. Tenho que agradecer a equipe mil vezes por estar nessa posição", revelou.
 
"Jean Todt me ligou agora há pouco. Quando eu atendi, ele disse que não esperava que eu fosse atender, porque a música estaria muito alta. Disse: 'é uma honra te receber no clube dos pentacampeões'. É inacreditável. Inacreditável. Eu perdi as palavras", falou emotivo.
Toto Wolff (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Tudo isso ainda no que Wolff acredita que tenha sido o melhor das cinco conquistas da Mercedes por conta da disputa. 
 
"Esse ano teve fases em que nós parecíamos ter a vantagem e outros em que a Ferrari era que tinha - depois a Red Bull se junto ao clube. E a cada vez que você achavam que tínhamos feito um gol e achado a bala de prata, a corrida seguinte mostrava que as coisas estavam bem diferentes", afirmou.
 
"Precisamos ter cuidado, porque o campeonato muda muito. É por isso que esse título é o melhor, porque tivemos uma enorme briga nas mãos com a Ferrari, uma ótima equipe e enorme marca. Poder ganhar o quinto campeonato é algo que nós não teríamos sonhado nem nos sonhos mais loucos. Não viria à cabeça bater um recorde da Ferrari que parecia inalcançável", finalizou.
 
Apesar dos campeonatos decididos, a F1 retorna em duas semanas, no fim de semana de 23 a 25 de novembro, com o GP de Abu Dhabi.