F1

Chefe da Mercedes revela que Bottas e engenheiro ignoraram ordem ao tentarem volta mais rápida

Em entrevista após o GP da Austrália, Toto Wolff contou que proibiu Lewis Hamilton e Valtteri Bottas de tentarem marcar a volta mais rápida para conquistar o ponto extra. Vencedor da prova, Bottas desrespeitou a ordem e, de quebra, saiu com 26 pontos do Albert Park
Grande Prêmio / Redação GP, de Campinas
Valtteri Bottas não se conformou apenas com a dominante vitória no GP da Austrália. O piloto da Mercedes fez um esforço nas voltas finais e anotou a volta mais rápida da corrida, ficando com o ponto extra, uma das principais novidades da temporada 2019 da Fórmula 1.

Em coletiva após a corrida, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, revelou que Bottas e o engenheiro Riccardo Musconi desrespeitaram uma ordem dada em uma reunião antes da prova, que proibia os pilotos do time de tentaram a volta mais rápida caso estivessem em posição de pódio. Apesar de ser desacatado, Wolff celebrou o ponto extra adicionado.
Valtteri Bottas passou por cima de ordem de Toto Wolff com volta mais rápida (Foto: Mercedes)
"Na reunião de manhã, quando falamos de estratégia, eu proibi os dois de irem pra volta mais rápida se estivessem em primeiro, segundo ou terceiro. Eles me ignoraram, os dois. Eu acho que foi combinado entre os engenheiros e os pilotos, porque os engenheiros estavam interessados. Preciso reconstruir as chamadas de rádio e ver como aconteceu. No fim, estou feliz. Pegar este ponto extra é bom, é animador, uma nova parte do espetáculo", disse Wolff.

Perguntado sobre o porquê da proibição, o chefe revelou que acredita que os pilotos correm um risco desnecessário ao acelerarem mais nas voltas finais, mas que o seu conhecimento sobre controle do carro não é superior ao de um piloto, por exemplo.
 
"Eu acho que é correr risco. Especialmente quando você está visando muitos pontos, você deveria tentar a volta mais rápida? Talvez o meu ponto de referência em manter controle do carro é o meu estilo de pilotagem, e não do nível de pilotos da Fórmula 1, mas eu não gostei muito", finalizou.