Chefe da Red Bull admite que rivais devem estudar telemetria da McLaren divulgada por Hamilton

Christian Horner, chefe da Red Bull, reconheceu que as equipes rivais estudarão a telemetria da McLaren que foi postada por Lewis Hamilton no Twitter

Lewis Hamilton causou uma grande confusão no Twitter no último fim de semana. Insatisfeito com o ritmo apresentado pelo MP4-27 no treino classificatório em Spa-Francorchamps, o britânico foi à rede social reclamar da opção pelo uso do modelo antigo da asa traseira da McLaren.

Ao contrário de Jenson Button, que escolheu o modelo atual, Hamilton optou pela versão anterior, mas não ficou satisfeito com seu desempenho. No sábado (1), após postar reclamações no serviço de microblog, o piloto deletou os posts, mas voltou a tocar no assunto no dia seguinte.
 

Hamilton postou telemetria da McLaren em sua conta no Twitter (Foto: Reprodução/ Twitter/ Lewis Hamilton)


Na manhã de domingo, Hamilton postou a telemetria da McLaren para mostrar a seus seguidores a diferença entre o seu desempenho e o de seu companheiro de time. Repreendido pelos chefes da equipe de Woking, Lewis deletou a mensagem, mas o estrago já estava feito.

Questionado sobre o vazamento da informação, Martin Whitmarsh, chefe da McLaren, negou que Hamilton será punido. “Não”, garantiu. “Mas seria interessante ver como outros chefes de equipe lidariam com isso.”

Christian Horner, chefe da Red Bull, afirmou que seus pilotos nunca cometeriam uma “quebra de sigilo” semelhante, mas reconheceu que as equipes rivais estudarão os dados fornecidos por Lewis.

“Pelo que eu entendo, são informações do carro e, se eram dados do carro, tenho certeza que cada engenheiro no pit-lane dará uma olhada nisso”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube