F1

Chefe da Red Bull exalta Verstappen em “loteria” na Alemanha: “Foi incrível”

A Red Bull confirmou o grande momento na F1 e conquistou mais uma vitória em 2019. Com Max Verstappen, foram já dois triunfos no campeonato em meio a um total de quatro pódios. A pilotagem do holandês foi exaltada por Christian Horner, chefe da Red Bull, que minimizou a batida de Pierre Gasly no fim da corrida e destacou a maturidade de Daniil Kvyat, dono do grande resultado do domingo (28) na Alemanha

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
Max Verstappen levou a Red Bull à segunda vitória na temporada 2019 da F1. Neste chuvoso domingo (28) em Hockenheim, novamente a estrela do holandês brilhou com o segundo triunfo nas três últimas corridas do campeonato, comprovando o quanto costuma se destacar em corridas adversas. Na esteira do revés da Mercedes com Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, Verstappen venceu pela sétima vez na carreira. Sua performance em meio a uma corrida imprevisível e cheia de imprevisibilidades chamou a atenção do chefe taurino, Christian Horner.
 
“Foi uma loteria, e Max teve de se manter focado. Foi um máximo de nove pit-stops para alguns pilotos, e cinco para Max. Colocamos os pneus amarelos [médios] imaginando que precisaríamos disso para chegar ao fim da corrida, tivemos de nos manter concentrados, foi incrível”, destacou o dirigente britânico em entrevista à emissora BBC.
 
“As relargadas de Max foram inacreditáveis. Simplesmente tentamos garantir em manter o pneu certo na hora certa e, nessas condições, não faz muito sentido olhar para o radar, é tudo diferente a cada curva, então você só precisa do pneu certo na hora certa”, comentou.
Max Verstappen festeja a segunda vitória nas últimas três corridas em 2019 (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
“Ele se destaca neste tipo de corrida, foi para a frente e estava lutando com Valtteri, que estava pressionando máximo com aqueles pneus, mas ele conseguiu acelerar, acelerar e, uma vez em que ele teve a pista limpa, simplesmente foi embora”, recordou Horner.
 
O chefe taurino minimizou a batida protagonizada por Pierre Gasly no fim da corrida. “Pierre ficou preso. Tivemos um problema no primeiro pit-stop, que o derrubou lá para trás. Ele fez uma parada a menos que Max, ficou à frente de Vettel. No meio do pelotão, ele tropeçou novamente em [Alexander] Albon. Não cheguei a ver, mas parece que foi um incidente de corrida”, descreveu.
 
 
“Daniil se concentrou e trabalhou muito para voltar ao programa [da Red Bull] e agora ele tem um filho e é uma pilotagem muito madura da parte dele”, disse.
 
No fim das contas, o balanço do que a Red Bull alcançou nesta primeira metade da temporada é bastante positivo. Apenas a Mercedes e a equipe de Milton Keynes venceram corridas até agora em 2019 na F1.
 
“Estamos na metade da temporada e vencemos duas corridas, alguns pódios e outros que poderiam ter sido. Espero que possamos fechar a primeira temporada com um bom resultado na próxima semana em Budapeste. A Hungria é novamente um desafio diferente, mas nós estamos vendo que os pneus têm desempenhado um papel-chave”, completou.
Paddockast #26
Acidentes que alteraram carreiras


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.