Chefe da Red Bull fala em sonho realizado e exalta tricampeonato do Mundial de Construtores

Christian Horner destacou as “muitas horas de dedicação e determinação de toda a equipe”. Com a conquista, a Red Bull entrou para o rol das cinco equipes mais vencedoras da história da F1

 Quem vence a temporada 2012 da F1, Vettel ou Alonso?

Com apenas sete anos de história e oito temporadas já disputadas na F1, a Red Bull já está entre as cinco maiores equipes da categoria em todos os tempos. Graças ao segundo lugar de Sebastian Vettel, conquistado no último domingo (18), no GP dos Estados Unidos, a escuderia anglo-austríaca alcançou 440 pontos e não pode mais ser alcançada pela vice-líder da temporada 2012, a Ferrari, que soma 367. Dessa forma, a Red Bull conquistou o tricampeonato do Mundial de Construtores.

Christian Horner, chefe da equipe anglo-austríaca, entende que a conquista é algo que pode ser considerado como um sonho realizado. Para fechar 2012 com chave de ouro, falta apenas a conquista do Mundial de Pilotos, que pode ser alcançado por Sebastian Vettel no próximo domingo, no Brasil.

A Red Bull conquistou o tricampeonato do Mundial de Construtores (Foto: Red Bull/Getty Images)

“Nós temos meio caminho andado”, disse Horner, feliz com a terceira conquista da Red Bull, a quinta maior campeã da história. “Fechamos um campeonato, e vencer pela terceira vez consecutiva o Mundial dos Construtores é algo que nós jamais sonharíamos anos atrás. Alcançar o que nós temos em 2010, 2011 e 2012 contra oponentes que tivemos em nosso oitavo ano no esporte é algo notável”, vibrou o britânico, que destacou o trabalho de cada membro da equipe de Milton Keynes.

“Isso é resultado de muitas horas de dedicação e determinação que existe dentro da equipe, é algo que deixa cada membro da equipe muito orgulhoso”, disse o comandante taurino durante entrevista coletiva em Austin logo após a corrida.

Quanto ao desempenho de Vettel no GP dos Estados Unidos, Horner fez um balanço bastante positivo, mesmo vendo seu piloto ser superado por Lewis Hamilton na metade final da prova.

“Lewis foi um pouco mais forte do que nós no primeiro setor, mas nos setores dois e três nós conseguimos reduzir um pouco a diferença. Ninguém cometeu qualquer tipo de erro, e Sebastian pilotou muito bem. Terminar em segundo, abrindo três pontos na liderança, ainda é um resultado fantástico”, admitiu o dirigente, já de olho em Interlagos. “Nós agora vamos para o Brasil com uma vantagem de 13 pontos e, obviamente, ainda tudo está em aberto. Tenho dito durante toda a temporada que achava que a decisão iria para o Brasil e, infelizmente, isso se provou hoje”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube