F1

Chefe da Red Bull lembra 'Multi 21' e diz que Vettel agiu para se vingar de Webber por briga no Brasil

Christian Horner enfim deu alguns detalhes do momento mais tenso na relação dificílima entre Sebastian Vettel e Mark Webber enquanto foram companheiros de equipe na Red Bull. A desobediência de Vettel na Malásia, em 2013, foi, segundo o chefe, fruto da atitude de Webber no Brasil, em 2012, que quase colocou o terceiro título do alemão a perder
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Vettel ultrapassa Webber (Foto: Reprodução/Twitter)
Durante os anos de domínio da Red Bull, entre 2010 e 2013, a relação entre Sebastian Vettel e Mark Webber nunca foi boa. Na realidade, com a piora causada pelo desgaste, ela foi cada vez pior com o passar dos anos. O momento de maior tensão foi o GP da Malásia de 2013, quando Webber tinha a vantagem numa dobradinha, e Vettel desrespeitou a ordem da equipe sobre levar os carros para casa. Ultrapassou o companheiro, venceu a prova e colocou o time em ebulição. Mais de cinco anos depois, Christian Horner, o chefe da Red Bull, deu alguns detalhes do que foi uma vingança.
 
Horner deu uma longa entrevista no recém-criado 'Beyond the Grid', o podcast da F1. Perguntado sobre o caso, falou que a decisão de Vettel de ignorar a Red Bull e fazer valer os pneus mais novos para ultrapassar Webber, vencer e caminhar para o quarto título mundial, nasceu meses antes.
 
No GP do Brasil de 2012, mais especificamente. Naquela ocasião, quando apenas Vettel e Alonso tinham chance de confirmar o título, Webber não se fez de rogado de apertar Vettel contra o muro na largada e fazer o companheiro perder posições. O título ficou com o alemão apesar do sexto posto, mas por um fio. O caos da Malásia nasceu ali, cinco meses antes.
 
"Provavelmente o pico foi no fim de 2012, quando Sebastian estava na luta com Alonso pelo campeonato. Mark pressionou [Vettel] contra o muro na largada do GP do Brasil na decisão do campeonato, o que acabou com ele sendo ultrapassado pelo Bruno Senna e tal", lembrou ao 'Beyond the Grid'.
O pódio climão da Malásia em 2013 (Foto: Reprodução/Twitter)
"Sebastian ficou extremamente nervoso com isso, porque discutimos antes da corrida que Mark não estava na disputa pelo campeonato. Era uma questão de fazer todo o possível para ajudar o companheiro a ser campeão. E naquele dia ele escolheu - o instinto entrou no jogo. Provavelmente ele nem pensou 'Não quero ajudar esse cara'", contou.
 
"Depois veio uma ressaca que levou tudo à Malásia, literalmente duas corridas depois, separada por cinco meses. E então veio uma situação como essa, com Mark na frente e Sebastian, com pneus novos, atrás. Os pneus estavam bem frágeis, e estamos dizendo 'Tudo certo, segurem as posições'", seguiu. 
 
"E Sebastian pensou 'que se foda'."
 
Horner foi questionado sobre se havia certeza de que aquilo havia mesmo sido uma vingança pelo que aconteceu meses antes, em Interlagos. "100% [certo], 100%. Sebastian disse isso para Mark depois, quando eles sentaram juntos na China. Esse foi provavelmente o momento mais tenso possível", encerrou.
 
Após a temporada 2013, Webber deixou a F1 e Vettel ganhou Daniel Ricciardo como companheiro para 2014. Em 2015, o tetracampeão partiu para a Ferrari.