Chefe da Renault admite frustração com “temporada mais difícil da carreira”

Cyril Abiteboul reconheceu que a Renault está abaixo de onde deveria estar em 2019, falou no ano mais duro da carreira, mas deixou claro que não acreditava que a equipe pudesse se meter no top-3 da F1

Cyril Abiteboul sabe que a Renault está decepcionando em 2019. No entanto, o chefe da equipe tratou de dizer mais de uma vez que o franceses estão apenas uma posição abaixo da meta do ano, que era, segundo ele, o quarto lugar no Mundial de Construtores. De todo modo, o francês reconheceu que está sendo sua temporada mais dura na F1.
 
O chefe da Renault começou deixando claro que nunca acreditou que pudesse fazer parte da 'F1 A' em 2019, mas reconheceu, sim, que a performance está abaixo da esperada no começo do ano.
 
"A pressão está muito forte. É uma temporada difícil, de longe a mais difícil que eu já tive pela expectativa que tínhamos. Mas não acho que a gente tenha colocado a expectativa lá no alto, sempre dissemos que a meta era o quarto lugar, mas claramente não somos, estamos em quinto. Acho que as pessoas colocaram o sarrafo bem mais alto pelo investimento e contratações, principalmente do Ricciardo, mas não era o caso. Nós estamos abaixo do que deveríamos, mas as pessoas superestimaram nosso potencial, a distância é muito grande", disse ao site norte-americano 'Motorsport.com'.
Cyril Abiteboul sabe que a Renault não vive um bom ano (Foto: Renault)

Para Abiteboul, o grande problema da Renault é a falta de consistência na performance do carro, que não demonstra muita lógica até aqui. 

 
"Temos um carro muito sensível que funciona muito bem em algumas condições e não tão bem em outras. Em um pelotão intermediário apertado, a gente pode ir de quarto e quinto em Monza para quase 15º no Japão. Sei que algumas pessoas acham que estamos perdidos, mas existem algumas condições em que temos pouco a fazer", seguiu.
 
Cyril ainda deixou claro que a Renault largou 2019 já algum tempo atrás, deixando de preparar atualizações e pensando no projeto do próximo ano.
 
"Nossa última atualização significativa no carro foi bem antes das férias de verão. Não posso nem dizer quando foi. Mas nós estamos sofrendo, sofrendo com o desenvolvimento aerodinâmico e mais do que isso, com o sistema todo, com todas as regras novas. Nós meio que já sabemos o que precisamos fazer, mas não temos certeza até que possamos colocar em prática e boa parte disso é só pro ano que vem", completou.
 
A Renault ocupa a quinta colocação no Mundial de Construtores com 77 pontos, 18 a mais que a Toro Rosso e 34 a menos que a McLaren.
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube