F1

Chefe da Toro Rosso lembra reação da F1 ao acerto com Honda: “Acharam que eu era totalmente maluco”

Chefe da Toro Rosso, Franz Tost avaliou que a Honda foi “um destaque” na temporada do time de Faenza. Dirigente lembrou que o paddock da F1 reagiu como se ele fosse maluco ao acerto com a montadora japonesa

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
Franz Tost afirmou que o paddock da F1 reagiu ao acordo com a Honda como se ele fosse “totalmente maluco”. A Toro Rosso trocou a Renault pela montadora japonesa mesmo após o fracasso da parceria de três anos com a McLaren.
 
Ao lado da escuderia de Faenza, a Honda mostrou reação e registrou seu melhor resultado desde que voltou à F1 em 2015 ― o quarto lugar de Pierre Gasly no GP do Bahrein. Assim, a Red Bull também apostou suas fichas na montadora nipônica em 2019 e decidiu encerrar seu vínculo com a Renault.
Franz Tost colocou a Honda como destaque da Toro Rosso (Foto: Beto Issa)
Depois das muitas criticas feitas pela McLaren ao propulsor nipônico, Tost contou que o paddock reagiu com descrédito à aliança, mas disse que sempre esteve confiante no potencial da Honda.
 
“A Honda foi um destaque para nós”, disse Tost em entrevista à publicação inglesa ‘Autosport’. “Você se lembra do que no ano passado, nesta época, os outros times diziam sobre a Honda”, seguiu.
 
“Eu me lembro de encontrar algumas pessoas e elas diziam: ‘Você deve ser completamente maluco. Te desejamos todo o melhor no próximo ano’”, relatou. “Eu disse: ‘É, nós vamos ter uma boa temporada, você vai ver, estaremos na sua frente’”, recordou.
 
“Eles pensaram que talvez eu fosse totalmente maluco, mas eu estava convencido de que a Honda era a decisão certa”, comentou. 
 
Na visão do dirigente, a Honda evoluiu bastante ao longo de 2018, mas também partiu de uma base melhor do que o esperado.
 
“O motor Honda do ano passado já era muito melhor do que outras pessoas diziam”, avaliou Todt. “Durante os meses de inverno, a Honda e a  Toro Rosso trabalharam muito duro, estávamos no dinamômetro em Milton Keyner, no dinamômetro em Sakura”, frisou.
 
“Foi uma colaboração muito próxima, e a Honda conseguiu melhorar a confiabilidade e também a performance”, avaliou.
 
Trabalhando no desenvolvimento para 2019, a Honda realizou muitas trocas em seu propulsor, introduzindo uma terceira especificação na segunda metade da temporada.
 
“Foi claro para mim durante a temporada que nós não terminaríamos o ano com três motores”, comentou. “Mas as últimas mudanças do motor foram mais ou menos um desejo da nossa parte. Vejo essa temporada como uma preparação para o próximo ano. Este ano acabou para nós. Esquece”, concluiu.