Chefe de operações cita incerteza como pior momento da fase final da Lotus e prevê ano difícil para Renault em 2016

Chefe de operações da Lotus, Alan Permane afirmou que o momento mais difícil para a equipe foi a incerteza desses últimos meses. Dirigente avaliou que a Renault terá um ano difícil na F1 em 2016

Chefe de operações da Lotus, Alan Permane acredita que não vai demorar para que a equipe esqueça os problemas dos últimos meses, mas nem por isso espera vida fácil para a Renault na temporada 2016.
 
Na última quinta-feira, a fábrica francesa encerrou meses de especulação e confirmou seu retorno ao Mundial com um esforço de fábrica. O retorno foi possível graças a compra a Lotus.
Dirigente avaliou que a equipe de Enstone logo vai esquecer os problemas (Foto: Getty Images)
Falando à publicação alemã ‘Auto Motor und Sport’, Permane destacou que foi difícil para o time trabalhando focando em 2016 sem saber o que aconteceria. 
 
 “Também não foi ideal em termos de desenvolvimento do carro do próximo ano”, disse Permane; “Quando não estava claro se seríamos comprados pela Renault ou não, nós estávamos limitados. Mas quando eles chegarem, os problemas serão rapidamente esquecidos”, seguiu.
 
Mesmo confiante de que os problemas serão rapidamente superados, Permane não acredita que a Lotus terá vida fácil em 2016.
 
“O primeiro ano não será fácil, mas, no fim, você trabalha duro, quer esteja na Mercedes ou na Manor. Só o tempo de volta na pista que é diferente”, ponderou. “Para nós, o mais importante é que agora nós garantimos nosso futuro. A pior parte foi a incerteza dos últimos meses — pessoas com família e filhos sem saber se ainda teriam um emprego”, apontou.
 
Questionado se a Renault estará presente no primeiro teste da pré-temporada após os atrasos, Permane se mostrou confiante.
 
“Sim, vamos estar lá. Não é segredo que estamos atrasados, mas vamos conseguir — como sempre conseguimos", concluiu.
 

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

E se os carros de F1 forem como este que a McLaren desenhou?http://grandepremio.uol.com.br/f1/noticias/video-mclaren-apresenta-visao-de-f1-do-futuro-com-revolucionario-modelo-conceitual-mp4-x

Posted by Grande Prêmio on Quinta, 3 de dezembro de 2015

PADDOCK GP EDIÇÃO #9: ASSISTA JÁ

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube