Chefe da Ferrari confia em 3° lugar no Mundial após evolução “em todos os aspectos”

A Ferrari caça a McLaren em briga que vale o terceiro lugar no Mundial de Construtores. A briga de Charles Leclerc pela vitória valida a análise do chefe Mattia Binotto, que nota evolução

Hamilton resiste após batida com Verstappen e vence GP da Inglaterra (Vídeo: Reuters)

2021 é para ser o ano de retomada da Ferrari. A equipe despencou para sexto no Mundial de Construtores após um 2020 tenebroso, mas já voltou a ser competitiva e sonhar até mesmo com vitórias. Isso tudo é motivação para Mattia Binotto, que confia em derrotar a McLaren para virar a terceira força da Fórmula 1.

“Está claro para mim que essa equipe é capaz de terminar em terceiro, e isso é algo que eu disse antes mesmo da temporada começar”, disse Binotto. “Sempre fizemos isso, exceto em 2020, e terminamos frequentemente em segundo. Essa é a nossa ambição. Não há dúvidas de que queremos melhorar em terceiro. Só que, antes de pensar nisso, nosso objetivo é melhorar todos os aspectos da equipe. Estamos fazendo isso. Nós estamos fazendo isso, nós já mostramos ritmo de corrida. Acho que terminar em terceiro vai ser apenas a consequência do trabalho duro”, seguiu.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Charles Leclerc conseguiu resultado empolgante para a Ferrari (Foto: Ferrari)

A Ferrari acumula resultados comparáveis com os da McLaren desde o começo do ano. Só que a grande fase de Norris virou o fiel da balança, permitindo uma vantagem da equipe britânica. Isso só começou a mudar em Silverstone, com Charles Leclerc terminando em segundo após briga intensa com Lewis Hamilton. Mesmo com a decepção do monegasco, a diferença encurtou: são 163 pontos para a turma de Woking, enquanto a de Maranello fica com 148.

O momento é de otimismo, mas Binotto faz questão de segurar a empolgação. Brigar com Hamilton pela vitória não significa que a Ferrari chegou magicamente a um patamar comparável com o da Mercedes.

“Não acho que estávamos no mesmo ritmo do Hamilton. Olhando os dados, vimos que ele estava poupando pneus naquele momento para evitar o risco de bolhas. É verdade que terminamos à frente do Bottas, mas isso tem muito a ver com o que vimos na Áustria com o Norris e o Bottas. Largar na frente e ter algum ritmo é fundamental. Essa é a importância da classificação e da posição final de grid”, encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar