Cinco anos depois, Vettel retorna ao país de estreia na F1 por 100º GP e tricampeonato mundial

Não havia lugar melhor para Sebastian Vettel comemorar a centésima corrida na F1. Neste final de semana centenário, o piloto retorna aos Estados Unidos, palco da estreia, ainda pela BMW Sauber, em 2007

► Os melhores momentos da carreira de Sebastian Vettel na F1 na Galeria GP

O GP dos Estados Unidos, marcado para este domingo (18), terá um sabor especial para Sebastian Vettel. Além de poder conquistar matematicamente o terceiro título consecutivo na F1 – se juntando a um seleto grupo formado por Juan Manuel Fangio e Michael Schumacher –, o piloto da Red Bull vai completar um centenário na F1.

Não que o alemão esteja completando 100 anos de categoria, obviamente. Na verdade, a corrida de Austin será a 100ª vez que Vettel começa uma corrida na F1. Quanto às últimas 99, ele não teve muito do que reclamar. Foram 45 pódios, 35 pole-positions, 26 vitórias, 14 voltas rápidas, 3 grand-chelens, 2 títulos e 1.028 pontos.

Tudo isso levando em conta que o piloto tem apenas 25 anos. Como comparação, quando Jackie Stewart havia resolvido se aposentar da F1, o escocês tinha disputado os mesmos 99 GPs, conquistado três títulos, mas já tinha 34.

A primeira vitória de Sebastian Vettel foi no GP da Itália de 2008 pela Toro Rosso (Foto: Red Bull/Getty Images)

Falando ainda sobre o GP dos EUA, não havia lugar mais apropriado para o alemão completar o centenário na F1. Afinal, foi justamente na última edição da corrida americana, em 2007, no tradicional circuito de Indianápolis, que o piloto estreou na categoria. Na ocasião, ele era reserva da BMW Sauber e foi chamado para substituir Robert Kubica, que ainda se recuperava do terrível acidente sofrido no GP do Canadá.

Depois disso, o germânico precisou esquentar o banco de reserva por mais três GPs até ser contratado pela Toro Rosso, substituindo Scott Speed, quando pôde enfim deslanchar na F1. Aliás, um detalhe curioso: em um esporte que cada vez mais os jovens pilotos querem se aproximar dos programas de desenvolvimento das grandes equipes para terem uma chance na carreira, Vettel foi um dos poucos que esteve presente em dois desses programas.

Por ter sido campeão da F-BMW Alemã, em 2004, com 18 vitórias em 20 corridas, o piloto logo foi puxado pela montadora de Munique. No entanto, ele já era apoiado pela Red Bull desde o kart. Assim, as duas empresas entraram em acordo e permitiram que Seb se tornasse reserva da BMW, inclusive testando nos treinos livres de sete GPs entre 2006 e 2007. No entanto, quando assumiu a Toro Rosso, Gerhard Berger exigiu a efetivação do alemão. Como a BMW não podia igualar a proposta, pois apostava em Nick Heidfeld e Robert Kubica, o jeito foi ver o chamado ‘Wonderboy’ se mudar para a equipe rival.

Nesse centenário, é difícil apontar quais são os GPs mais importantes de Sebastian Vettel. Apesar disso, o Grande Prêmio fez um levantamento para lembrar tudo aquilo que o jovem piloto alemão já fez nessa curta, mas marcante passagem pela F1 até agora.

Especial GP dos Estados Unidos

► Com ingressos esgotados, F1 tenta realizar pela décima vez sonho de fazer a América
 Antes de chegar ao sul em Austin, F1 cortou EUA de leste a oeste e viu até prova de seis carros
► Após quase dois anos de obras, Circuito das Américas está pronto para receber F1. Confira galeria

A estreia de Vettel foi na BMW Sauber no GP dos EUA de 2007 (Foto: Divulgação)

GP nº 1 – A estreia de Vettel na F1 aconteceu na etapa dos EUA de 2007. Substituindo Robert Kubica, o piloto alemão terminou na oitava colocação, somando o primeiro ponto da carreira na categoria. Nick Heidfeld, no outro carro da BMW Sauber, abandonou.

GP 2 – A primeira corrida pela Toro Rosso aconteceu na prova da Hungria, de 2007, menos de dois meses após a etapa de Indianápolis. O alemão, porém, não conseguiu manter o bom ritmo, sendo apenas o 20º no grid – atrás até mesmo dos carros da Super Aguri – e terminando a prova em 16º, uma volta atrás.

GP 6 – Apesar do fraco desempenho na Hungria, a adaptação à F1 foi rápida. No GP do Japão de 2007, Vettel teve a primeira chance de vencer uma corrida. Debaixo de muita chuva em Fuji, o piloto se envolveu em um polêmico acidente com Mark Webber fazendo os dois abandonarem a prova na luta pela segunda colocação. A batida teria sido causada por uma freada de propósito do então líder Lewis Hamilton quando a corrida estava com safety-car.

GP 7 – O incidente em Fuji fez com Sebastian Vettel perdesse dez posições no grid em Xangai. No entanto, mais uma vez debaixo de uma tempestade, o ainda piloto da Toro Rosso pôde mostrar talento. Terminou na quarta colocação, obtendo o melhor resultado do time italiano na temporada.

GP 14 – Depois de quatro abandonos seguidos e uma corrida fora da zona dos pontos, Sebastian Vettel voltou a ter uma boa prova no GP de Mônaco de 2008. Contando com atualizações no carro da Toro Rosso – que na verdade era o mesmo da Red Bull, mas com o potente motor Ferrari –, o germânico terminou em quinto no Principado e comemorou mergulhando de roupa em uma piscina.

GP 22 – A Toro Rosso certamente tinha um dos melhores carros da F1 de 2008. Nas sete provas seguintes após o GP de Mônaco, o alemão terminou quatro na zona de pontos. A glória, porém, veio na oitava corrida. Em um GP da Itália marcado por muita chuva, o alemão não só largou na pole-position (a primeira da carreira) como liderou de ponta a ponta para vencer pela primeira vez. E pensar que um dia a STR já foi conhecida como Minardi…

GP 26 – Por muito pouco Vettel não foi um dos protagonistas do GP do Brasil de 2008. Naquela corrida, o alemão ultrapassou Lewis Hamilton, nas voltas finais, o que acabaria dando o título de campeão a Felipe Massa. O problema é que o britânico acabaria superando Timo Glock, nas últimas curvas, o que frustrou as pretensões do brasileiro.

GP 27 – A estreia na Red Bull aconteceu no GP da Austrália de 2009. Em uma prova dominada pela Brawn, o alemão se classificou em terceiro, mas acabou abandonando ao causar uma acidente com Robert Kubica na luta pelo segundo lugar.

GP 29 – A segunda vitória na F1 – e primeira pela Red Bull – veio na etapa da China de 2009, onde havia largado na pole-position.

GP 34 – Na Inglaterra, Sebastian Vettel venceu pela terceira vez na categoria, mas dessa vez, além de largar na frente, o piloto também marcou a volta mais rápida da prova. Só faltou liderar de ponta a ponta.

GP 41 – O terceiro triunfo de Vettel pela equipe rubro-taurina foi no GP do Japão, onde conseguiu se redimir do acidente causado dois anos antes. A única diferença é que dessa vez a corrida foi em Suzuka.

GP 43 – Com a vitória no GP de Abu Dhabi, que estreava na F1, Sebastian garantiu o vice-campeonato de 2009, ficando atrás apenas de Jenson Button na classificação final.

GP 46 – A primeira vitória do piloto alemão no campeonato de 2010 aconteceu no GP da Malásia.

Vettel e a marca registrada na comemoração das suas vitórias na F1 (Foto: Red Bull/ Clive Mason/ Getty Images)

GP 49 – Em Mônaco, a Red Bull fez a dobradinha, mas quem terminou na frente foi Mark Webber. Apesar disso, os dois pilotos comemoram muito o resultado, com os dois pulando na piscina, de macacão, para celebrar.

GP 50 – No entanto, o bom ambiente da Red Bull não durou muito tempo. Na corrida seguinte, na Turquia, Vettel se envolveu em um acidente com Webber e saiu reclamando do australiano, fazendo sinal de que o companheiro é ‘louco’.

GP 53 – O piloto alemão voltou a se envolver em polêmica dentro da Red Bull na Inglaterra. Depois de liderar todos os treinos, Vettel teve um pneu furado logo na largada e viu Webber vencer a prova. Ao receber a bandeirada, o australiano disse pelo rádio que o resultado não era “nada mal para o segundo piloto”. A discussão havia começado quando o australiano viu seu único exemplar de uma nova asa dianteira ser repassada ao companheiro de equipe.

GP 55 – Vettel voltou a polemizar no GP da Hungria, quando foi punido com um drive-through ao não conseguir manter velocidade mínima atrás do safety-car.

GP 59 – No Japão, Sebastian Vettel se tornou o mais jovem piloto a vencer duas vezes o mesmo GP. Ele já havia triunfado em Suzuka no ano anterior.

GP 62 – Contra todas as estatísticas, o piloto da Red Bull conquistou o título da temporada 2011 da F1 depois de vencer o GP de Abu Dhabi e ver Fernando Alonso, favorito à taça, passar toda a corrida atrás da Renault de Vitaly Petrov.

GP 63 a 71 – Vettel mostrou que tinha todas as condições de conquistar o segundo título consecutivo da F1 ao vencer cinco das primeiras oito provas de 2011. Nas outras três, terminou em segundo.

GP 69 – O germânico perdeu a vitória no GP do Canadá ao ser ultrapassado por Jenson Button na última volta.

GP 70 – A volta por cima aconteceu logo na corrida seguinte, em Valência, quando o piloto da Red Bull dominou o GP da Europa em uma semana marcada pela proibição da FIA do mapeamento dos motores, um dos trunfos rubro-taurinos.

GP 75 – Na Itália, Vettel se tornou o primeiro piloto a conquistar dez poles numa mesma temporada desde Ayrton Senna, em 1990.

GP 77 – O segundo título de Vettel na F1 foi confirmado no GP do Japão, com o piloto terminando no terceiro lugar. Na corrida, o germânico apenas administrou a vantagem para garantir a taça, mas fazendo questão de terminar no pódio.

GP 79 – O alemão conquistou o primeiro grand-chelem – largar na pole, marcar a volta mais rápida e liderar de ponta a ponta – da carreira no GP da Índia.

GP 82 – No GP da Malásia, segunda prova da temporada de 2012, Sebastian Vettel se envolveu em um acidente com Narain Karthikeyan, chamando-o de ‘cabeça de pepino’.

O jovem de Heppenheim pode chegar ao seu GP de número 100 como tricampeão (Foto: Red Bull/ Getty Images/ Vladimir Rys)

GP 85 – Sem o carro dominante dos outros anos, a primeira vitória do alemão em 2012 veio apenas na quarta corrida, no GP do Bahrein.

GP 94 – Na Itália, o piloto alemão alcançou a curiosa marca de 50 pinturas diferentes de capacete na carreiras na F1.

GP 95 a 98 –  Vettel arrancou para o tricampeonato com quatro vitórias consecutivas na temporada asiática da F1. O piloto ainda contou com a sorte de ver Fernando Alonso abandonar o GP do Japão, disparando na classificação.

GP 99 – O alemão perdeu o recorde de vitórias consecutivas no GP de Abu Dhabi, onde foi obrigado a largar da última colocação depois de ter ficado sem combustível no treino classificatório. Mesmo tendo saído do pit-lane, o piloto fez uma boa corrida de recuperação, terminando em terceiro.


► Por que Michael Schumacher não foi o mesmo? Leia na WARM UP

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube