F1

Claire Williams diz ter consciência sobre erros e problemas e admite que atraso em testes foi “vergonhoso”

Claire Williams recebeu os jornalistas em Barcelona, nesta quarta-feira (20), para explicar o atraso de sua equipe nos testes de pré-temporada. O FW42 só foi à pista na tarde de hoje, mas a dirigente não quis entrar em detalhes sobre as razões que levaram o time a perder a primeira parte das atividades

GRANDE PRÊMIO, de Barcelona / EVELYN GUIMARÃES, do Circuito da Catalunha
Diretora-adjunta da equipe que leva o nome de seu pai, Claire Williams admitiu que o atraso do início dos trabalhos em Barcelona foi "realmente embaraçoso". A inglesa, no entanto, se negou a entrar em detalhes da razão pela qual o time foi obrigado a perder dois dias de testes da pré-temporada 2019. Claire reconheceu que não havia condições de deixar tudo pronto a tempo.
 
A esquadra de Grove criou o FW42 para o campeonato deste ano, mas só pode colocá-lo na pista na tarde desta quarta-feira (20) e somente por poucas voltas, com George Russell. Por causa dos problemas da preparação final do modelo, o carro só chegou à pista catalã na madrugada de hoje. E a Williams passou praticamente a manhã toda debruçada sobre o bólido.
 
"Acabou ficando muito tarde para a gente fazer o shakedown e, consequentemente o primeiro dia de testes. Nós achamos que tínhamos tudo pronto para entrar na pista na terça-feira. Mas algumas partes não ficaram prontas no tempo que pensávamos que ficariam. Por isso, a gente não conseguiu colocar o carro na pista até hoje", afirmou a dirigente aos jornalistas, incluindo o GRANDE PRÊMIO.


 
George Russell (Foto: Williams)
Sobre os motivos do atraso, Williams preferiu não apresentar as respostas. "Não vou entrar em nenhum detalhe aqui sobre o que aconteceu. Acho que não é apropriado discutir sobre o que deu errado", completou. 
 
Claire deixou claro, entretanto, que a equipe sabe muito bem onde foram as falhas. "Nós sabemos claramente quais são so problemas. Mas é muito cedo para começar a discutir sobre isso agora e, provavelmente, é algo que a gente não faria de qualquer forma. Nós precisamos resolver o que deu errado ou analise o que aconteceu, resolver e garantir que isso não aconteça de novo", acrescentou a britânica.
 
"Portanto, só podemos pedir desculpas pelo que houve, especialmente aos fãs. E queria me desculpar com todas as pessoas que tiveram de lidar com uma grande pressão em Grove nestes últimos dias. Claramente, não estamos só desapontados com o que houve, é embaraçoso não conseguir colocar o carro na pista, quando todos os demais conseguiram e, particularmente, uma equipe como a nossa, que tem mais de 40 anos."

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Evelyn Guimarães, Vitor Fazio, Eric Calduch e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.