F1

Claire Williams faz mistério, mas diz que mudança interna causou decadência: “Assumo minha culpa”

Claire Williams vê sua escuderia afundar ano após ano na F1. A dirigente britânica diz saber um dos principais motivos para os problemas atuais e ter uma fórmula para voltar a evoluir – mas em um processo que deve ser “longo”

Grande Prêmio / Redação GP, de Berlim

 
 
Qual foi o motivo para a Williams perder tanto rendimento em anos recentes na Fórmula 1? A outrora poderosa escuderia teve um 2018 de resultados dos mais pobres, tendência essa que se repete em 2019. Claire Williams, chefe da equipe, diz saber um dos principais motivos para a queda: sem entrar em detalhes, a dirigente diz que uma mudança “interna” saiu pela culatra.
 
“Para preservar nossos resultados e conseguir progresso, mudamos uma coisa na nossa estrutura interna. Isso acabou sendo um erro”, disse Claire, entrevistada pela publicação francesa ‘Auto Hebdo’. “Foi uma iniciativa minha e assumo minha culpa. Acredite, ninguém está querendo se esconder. Sabemos onde estamos e o que você precisa fazer para vencer. Mesmo assim, é um processo longo”, seguiu.
 
A situação ruim da Williams só piorou no começo de 2019. A equipe sofreu com atrasos na concepção do FW42, que perdeu dois dias de pré-temporada em Barcelona. Quando andou, o carro foi notoriamente o mais lento de todos. Não tardou para cabeças começarem a rolar: Paddy Lowe, diretor-técnico, pediu afastamento dias antes do GP da Austrália.
 
“Não quero falar sobre isso nesse momento. É muito difícil para mim falar sobre Paddy [Lowe] e seu papel nisso tudo”, destacou. “Eu confio por completo neles [engenheiros que substituíram Lowe] e acho que vamos andar na direção certa”, apontou.
George Russell e Robert Kubica (Foto: Williams)
Em busca de uma nova direção, a Williams voltou a convocar Patrick Head. O engenheiro fundou a escuderia ao lado de Frank Williams e agora atua como consultor.
 
“Patrick Head voltou como consultor e vai apoiar nossos engenheiros em um período tão difícil. Ele [Head] tem tanta experiência e tem o tipo de personalidade que o faz ser ouvido. Seus conselhos vão ser muito valiosos”, encerrou Claire.
 
A Williams, única equipe ainda sem pontos em 2019, está na lanterna no Mundial de Construtores. A nova chance de dar uma volta por cima com George Russell e Robert Kubica é o GP da China, marcado para 14 de abril.