F1

Coluna Apex, por Andre Jung: 10

Gostar de F1 é um defeito que eu sei que tem quem compartilhe, e por isso topei. Confesso que algumas vezes pensei em parar com a coluna, mas cada vez que falava no assunto o Flavio dobrava meu cachê

Warm Up / ANDRE JUNG, de São Paulo

Esse número é emblemático mesmo, camisa de Pelé, Ademir da Guia, Zico e Maradona! Resolvi batizar esta coluna assim, pois ela encerra a décima temporada da Apex. Dizer que eu lembro como se fosse hoje seria uma mentira deslavada (minhas memórias terão de ser escritas por alguém mais confiável), mas em 2004, num certo dia de um dos meses do primeiro semestre, o Flavio Gomes me convidou para rabiscar umas linhas no GRANDE PRÊMIO.

Gostar de F1 é um defeito que eu sei que tem quem compartilhe, e por isso topei. E as corridas foram acontecendo, e os anos foram passando. Confesso que algumas vezes pensei em parar, mas cada vez que falava no assunto o Flavio dobrava meu cachê. Resultado; hoje ganho umas 16 vezes mais do que quando entrei. Tá explicado porque continuo aqui a importunar vocês.
(Ilustração: Marta Oliveira)

“Ele não é do ramo”, ouvi muito esse comentário a meu respeito e, pensando no assunto, concluí que em boa parte é verdade. Admiro os colegas que estão há anos, décadas (e para por aí), correndo o país e o mundo atrás da notícia. Não é meu metier, mas escrevo com certo zelo e respeito aos leitores do site, tentando fazer com que não desperdicem seu tempo ao lerem a Apex. Do quarto ano para cá, venho contando com o auxílio luxuoso da ilustradora M.art.A Oliveira, participação que sem dúvida melhorou muito o pacote.

Como eu já sei que o Flavio vai multiplicar a oferta, assim que eu ameaçar parar, é bem capaz que em 2014 vocês tenham de me aturar mais uma vez.

Finais são quase sempre acompanhados de alguma melancolia; lá se vai mais uma temporada, e com ela o velho regulamento, os motores V8, o Mark Webber, a Coswoth, e mais uma renca de pilotos mais ou menos, fazendo desse um final de temporada mais final do que de costume.

Interlagos, com seu paddock minúsculo, oferece uma condição única em que os tops se esbarram com os mortais, coisa que me proporcionou almoçar na cantina da Ferrari ao lado de Massa, Alonso, Barrichello, Pedro de La Rosa e Marc Gené. Descobri então que o Massa já providenciou um ticket refeição para continuar a comer a pasta dos italianos em 2014!

A corrida foi daquele jeito das outras da segunda metade da temporada, sem chuva (não houve corrida com chuva em 2013!) e sem graça. Ficamos todos torcendo para que caísse um pé d’água, mas São Pedro não se comoveu. Legal ver o Mark Webber andando de F1 com a cara pro vento. Esse australiano vai deixar saudades, um dos poucos homens numa categoria cada vez mais recheada de garotos.

Ano que vem muda tudo. Em 2009, na última grande transformação, Ross Brown teve a malandragem de encontrar a brecha do difusor duplo e, com a astúcia, ganhou o campeonato. Mas quem criou o melhor projeto, dentro da filosofia das novas regras foi sem dúvida Adrian Newey. De 2010 em diante só deu Red Bull, sempre aprimorando o conceito que estreou no carro de 2009.

Em 2014, muita coisa vai mudar, e é possível que Newey venha com um projeto bastante arrojado, explorando ao máximo os limites que as regras impõem. Outras vezes, esse arrojo fez com que inicialmente as equipes em que trabalhou demorassem um pouco até liberar todo o potencial de um novo projeto. Essa poderá ser, no ano que vem, a grande oportunidade da concorrência.

É fácil notar que a F1 entra num momento difícil de sua história; o automóvel é um vilão urbano e cada vez mais os patrocinadores tendem a colocar seu dinheiro em outros negócios. Quiçá, com as novas regras, a categoria limpe um pouco a imagem, mas seus dias de gastos multimilionários parecem estar contados.

Boas férias, boas festas, bons passeios, saúde e sucesso, se o Flavio dobrar novamente a oferta, em 2014 a Apex volta a aporrinhar vocês!

Enquanto isso...
...a Caterham não conseguiu repetir o feito de 2013...
...sem chuva e outras ocorrências, seus pilotos não conseguiram chegar ao 12º lugar que a colocaria à frente da Marussia...
...numa amostra da irracionalidade que vige na categoria, é ela, a última colocada, que terá as maiores despesas para viajar com seu equipamento em 2014.