F1

Com ambiente ‘positivo’, F1 dá passo importante para definir regulamento de 2021 com reunião em Londres

Na última terça-feira (26), Londres foi palco de uma reunião importante para a definição dos novos rumos da F1 a partir de 2021. Membros do Grupo de Estratégia e da Comissão da F1 estiveram na capital britânica em encontro promovido pelo Liberty Media

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré

Antes do embarque para o Bahrein, palco da segunda etapa da temporada 2019 do Mundial neste fim de semana, a F1 reuniu sua cúpula para um encontro promovido pelo Liberty Media em Londres na última terça-feira (26). Em pauta, as mudanças cruciais que a categoria vai sofrer tanto no aspecto esportivo como também comercial a partir de 2021. 
 
Em nota publicada em seu site oficial, a F1 ressalta que “pretende começar um novo capítulo na sua história com novas regras, nova estrutura de gestão, estratégia na distribuição de receitas e controle de gastos. E na terça-feira, em Londres, o campeonato deu um passo mais próximo para fazer isso acontecer a partir de 2021”, diz a categoria. 
 
De acordo com o site britânico ‘Race Fans’, o encontro, que compreendeu a presença de membros do Grupo de Estratégia, da Comissão da F1, da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e da FOM (Formula One Management), foi cercado de um ‘ambiente positivo’.
A F1 discute mudanças cruciais para o esporte a partir da temporada 2021 (Foto: Mercedes)
Ainda segundo o site oficial da F1, nos últimos meses, chefes da categoria e da FIA estão trabalhando “em uma estrutura que inclui novos regulamentos técnico e esportivos, regulamentos para unidades de potência, custos, gestão e distribuição de receita”.
 
O dia teve início com uma reunião do Grupo de Estratégia e foi seguido por outra reunião, desta vez com a Comissão da F1, reunindo todos os acionistas do esporte para ver em que ponto as conversas evoluíram desde o primeiro encontro para tratar do assunto, feito há quase um ano, no fim de semana do GP do Bahrein de 2018.
 
O objetivo do Liberty Media é claro: buscar um esporte mais competitivo, com carros mais próximos, “fazer dos pilotos heróis e tornar o negócio mais sustentável”.
 
Entretanto, é sabido que dificilmente vai ser possível agradar a todos com a mudança completa que a F1 busca para menos de dois anos. Sob condição de anonimato, um dos chefes de equipe do grid salientou tal posicionamento.
 
“O Liberty está completamente consciente de que vai ser impossível agradar a todo mundo, de modo que sua estratégia é fazer com que o menor número de pessoas fique descontente. Confeccionar um pacote que agrade a dez equipes com modelos de negócios diferentes faz com que seja inevitável que se prejudique mais umas equipes do que outras”, comentou.