F1
28/09/2015 14:29

Com ‘Carta de Intenções’ da Renault, Lotus ganha prazo extra para acertar pendências tributárias com Fazenda britânica

A Suprema Corte da Inglaterra atendeu a um pedido feito pelos advogados de Lotus e Renault para ampliar o prazo para que a equipe de Enstone possa acertar suas pendências fiscais com a Fazenda britânica. Fábrica francesa assinou uma Carta de Intenções, sinalizando seu interesse e adquirir a Lotus
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Pastor Maldonado durante a classificação deste sábado em Suzuka, no Japão (Foto: AP)
A Lotus ganhou um respiro em sua batalha legal com a Fazenda britânica. Nesta segunda-feira (28), a Suprema Corte da Inglaterra deu um prazo maior para que a equipe de Enstone acertar suas contas.
 
A Lotus deve cerca de R$ 16,2 milhões para a Fazenda britânica e corria o risco de passar para administração legal. Para evitar a intervenção, a Renault assinou um documento se comprometendo a comprar a equipe.
A Lotus agradeceu Bernie Ecclestone pela ajuda no almoço do time em Suzuka (Foto: Lotus/Twitter)
Apesar de a corte ter sinalizado anteriormente que apenas o acordo de compra finalizado seria o bastante para evitar a administração legal, o tribunal acatou o pedido dos advogados de Lotus e Renault, que alegaram que o acordo tinha sido fechado durante a noite e pediram um adiamento na ação legal do fisco por 70 dias, até 7 de dezembro, para que a transação pudesse ser finalizada.
 
 O juiz Colin Birss concordou com o pedido, que também não teve oposição da Fazenda britânica.
 
Falando à agência Reuters, os advogados da Renault confirmaram que a Fazenda inglesa ainda não recebeu da Lotus os valores devidos referentes ao PAYE, um imposto similar ao Imposto de Renda do Brasil, e ao National Insurance, contribuição similar ao Fundo de Garantia, mas garantiram que o pagamento era iminente. 
 
Durante o GP do Japão, disputado no último fim de semana, a crise financeira da Lotus ganhou contornos dramáticos. A equipe atrasou pagamentos e sequer conseguiu usar a área destinada no paddock de Suzuka. E ainda contou com a ajuda de outros times para a alimentação dos mecânicos e demais funcionários. Até Bernie Ecclestone auxiliou financeiramente a Lotus durante a etapa japonesa.