F1

Com dívidas de R$ 4,8 bilhões e risco de ser preso, dono da Force India foge de credores e vai para Londres

Devendo R$ 4,8 bilhões para um consórcio indiano, Vijay Mallya precisou fugir para Londres, em uma tentativa de driblar as leis indianas – que preveem prisão por endividamento. O magnata deverá ficar na Inglaterra por tempo indeterminado

Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre
Se a Force India vive uma época promissora e sonha com voos mais altos na F1, o mesmo otimismo não pode ser encontrado em seu dono. Vijay Mallya, magnata indiano e fundador da escuderia, passa por uma situação financeira delicada: devendo o equivalente a R$ 4,8 bilhões para um consórcio de 13 bancos do país, Mallya optou por abandonar a Índia e passar um tempo em Londres, na Inglaterra.
 
A medida extrema, revelada pela Forbes, é uma forma de driblar as leis indianas. Permanecendo em sua terra natal, Mallya corria o sério risco de ser preso por causa das dívidas, punição prevista na legislação local. O presidente da Sahara, empresa parceira da Force India, já está na cadeia por dever R$ 14 bilhões.
Vijay Mallya (Foto: Force India)
A situação de Mallya piorou rapidamente ao longo das últimas semanas. Semana passada a Suprema Corte da Índia já havia dado um prazo de duas semanas para que o magnata apresentasse motivos e razões para não ter seu passaporte recolhido.
 
Recentemente Mallya também precisou abrir mão de suas ações na Force India para tentar pagar dívidas. Seus 42,5% na equipe foram vendidos para a Diageo, gigante do mercado de bebidas.
 
Mesmo assim, a Force India não se abala e segue com a intenção de seguir crescendo na F1. Depois de conquistar um inédito quinto lugar no Campeonato de Construtores de 2015, a equipe quer seguir crescendo e promete disputas com Williams e Red Bull.
 
VEJA A EDIÇÃO #19 DO PADDOCK GP, QUE ABORDA STOCK CAR, F1, INDY E F-E