F1

Com “foco na F1”, Fittipaldi busca categoria para se manter ativo: “Super Fórmula me interessa muito”

Pietro Fittipaldi está com a cabeça totalmente voltada para a temporada 2019. Assumindo o papel de piloto de testes da Haas, o brasileiro também tem procurado uma categoria para disputar e se manter ativo, vendo na Super Fórmula uma boa opção
Warm Up, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de Interlagos / FERNANDO SILVA, de Interlagos
 Pietro Fittipaldi (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Pietro Fittipaldi está traçando todo o seu trabalho e cronograma para a temporada 2019. Confirmado como piloto de testes da Haas, agora busca uma segunda categoria para correr no próximo ano, e já mostrou interesse na Super Fórmula.
 
O próximo campeonato do brasileiro vai estar recheado de atividades. Além de participar de diversos treinos Pirelli com a equipe norte-americana, ainda vai trabalhar nos simuladores do time e da Ferrari. Entretanto, Guenther Steiner, seu novo chefe, já deu a dica: não ficar parado.
 
“Meu foco vai ser com o trabalho com a equipe da F1. O trabalho está focado nisso, mas eles também querem que eu continue ativo. Então estou vendo um campeonato que não tem muito conflito com o calendário da F1, e acho que a Super Fórmula interessa muito”, disse.
 
“Mas a gente ainda não decidiu, temos outras opções, mas com certeza quero fazer uma coisa, ter um carro competitivo para demonstrar resultados. Isso é muito importante”, continuou o brasileiro.
Pietro Fittipaldi (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“A Super Fórmula é um campeonato muito competitivo, um carro muito rápido. No ano que vem vai ter um carro novo. Mas o carro que começaram a usar desde 2014 é muito rápido, muito leve, com carga aerodinâmica quase igual à da F1. Até em Suzuka eles viram um tempo perto da F1. Claro que isso me ajuda a conseguir outras oportunidades na F1”, completou.
 
Mas em 2018, Pietro já fez uma verdadeira maratona entre as categorias mundiais. O piloto marcou presença na Super Fórmula, onde fez uma corrida, na Indy, com seis provas, e no Mundial de Endurance, onde sofreu um acidente em Spa-Francorchamps e quebrou as duas pernas, ficando dois meses parado.
 
Fittipaldi exaltou toda a experiência acumulada ao longo do ano, ressaltando a importância de ter conhecido tantas categorias e ter guiado tantos carros. “Valeu a pena, pois a experiência que eu ganhei fazendo isso foi muito importante, as oportunidades que eu tive naquela hora, aprendi muito com isso também”, falou.
 
“Sou piloto, quero correr de tudo em um carro competitivo, então tive essas grandes oportunidades, também guiei um carro da LMP1 no Bahrein, FE na Jaguar, então em 2018 pilotei muitos carros diferentes, ganhei muita experiência”, seguiu.
É oficial: Pietro Fittipaldi está de contrato assinado com a Haas para 2019 (Foto: Divulgação)
“Infelizmente o acidente parou meu ano, mas voltei forte na Indy, voltei com uma fratura na perna. Estava com a perna quebrada, tive que usar uma proteção de fibra de carbono na perna. Mas voltei e estava entre os dez, fiquei muito feliz com isso. Agora, sendo contratado pela Haas, Guenther me ofereceu essa posição na equipe, estou muito, muito feliz.”
 
Por fim, Fittipaldi que “vou morar junto com Enzo em Maranello. A Haas usa o simulador da Ferrari em Maranello e vou trabalhar muito nisso e vou ficar morando junto com Enzo no mesmo apartamento”, encerrou.
 
Acompanhe todo o conteúdo em vídeo do GP do Brasil no nosso canal no YouTube Resultado de imagem para logo png youtube

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathalia De Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.