carregando
F1

Com “humildade e ambição”, Renault fala em “recuperar confiança” em 2020

Cyril Abiteboul aproveitou o começo do ano para refletir sobre o que a Renault não alcançou na temporada passada. Para 2020, o dirigente francês definiu como meta o regresso ao quarto lugar do Mundial de Construtores, mas com humildade: “O desafio é enorme para toda equipe”

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
A Renault viveu um 2019 abaixo do esperado e com raríssimos momentos para comemorar. Mesmo com a contratação de Daniel Ricciardo, tirado da Red Bull a peso de ouro, não foi o bastante para o time de Enstone viver uma temporada positiva. Vários problemas de confiabilidade e de performance marcaram a jornada oscilante para a escuderia anglo-francesa, que foi superada pela McLaren e terminou o Mundial de Construtores do ano passado somente na quinta colocação. 
 
Cyril Abiteboul, chefe da equipe, aproveitou o tempo longe das pistas para fazer uma análise de tudo o que se passou e agora projeta um 2020 mais positivo e de reação com as lições aprendidas. Contudo, o novo ano não começou muito positivo para a Renault, que fez a apresentação do R.S.20 sem ter o carro pronto. O modelo só vai ser revelado de fato no início dos testes de pré-temporada, em 19 de fevereiro, na semana que vem.
 
Em entrevista concedida na esteira do evento realizado nesta quarta-feira (12), em Paris, o comandante da escuderia auri-negra fez uma análise do que considera a primeira parte do ciclo desde que a Renault regressou à F1, em 2016, após comprar a Lotus.
Cyril Abiteboul chegou a 2020 pressionado a obter melhores resultados com a Renault (Foto: Renault)
“Os anos anteriores foram focados na reconstrução tanto da estrutura como também de recursos humanos. Esta fase está completa agora, e precisamos agora fazer jus às nossas ambições e ao nosso plano”, explicou o dirigente.
 
“2019 foi um ano desafiador, mas não sem méritos. Ele lembrou o que é preciso para ser bem-sucedido neste esporte e o alto nível de competição. Mais especificamente, a última temporada nos permitiu fazer um balanço dos nossos pontos fortes e fracos no fim do nosso período inicial de construção e tomar as medidas apropriadas”, salientou.
 
Mesmo com a meta de superar a McLaren e voltar a ser a quarta força da F1, a Renault entende que a missão que se avizinha é bastante espinhosa. “Abordamos a nova temporada com humildade e ambição. Humildade, uma vez que o desafio é enorme para toda equipe, a cada ano que chega, e não somos exceções”.
 
“Quando voltamos para um esporte mudado e cada vez mais competitivo, em 2016, expressamos nossas ambições em sermos campeões do mundo, e nós definimos um padrão elevado para cada um dos membros da equipe. Precisamos aderir a este plano inicial, mas sem sucumbir aos objetivos em curto prazo que nos afastam da meta final”, explicou.
 
No fim das contas, Abiteboul definiu as diretrizes para a Renault poder viver um 2020 bem mais positivo do que foi 2019. 
 
“Para a próxima temporada, que começa na semana que vem, em Barcelona, devemos respeitar as três prioridades identificadas durante as férias: confiabilidade desde o começo, garantir um alto nível de desenvolvimento logo no início da temporada e ter uma boa taxa de conversão na pista. No entanto, precisamos recuperar a confiança e reforçar o espírito de equipe para obter o melhor de todos e tirar o máximo de proveito das nossas chances a cada fim de semana de corrida durante esta temporada longa, desafiadora e sem precedentes”, concluiu.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.