F1

Com quadro de concussão, Alonso fica fora do GP da Austrália e adia reestreia pela McLaren. Magnussen substitui

A McLaren anunciou nesta terça-feira (3) que Fernando Alonso não vai disputar o GP da Austrália, abertura do Mundial de F1, por recomendação dos médicos. Kevin Magnussen o substituirá, reeditando a parceria com Jenson Button

Warm Up / RENAN DO COUTO, de Barcelona
Fernando Alonso não disputará o GP da Austrália, abertura da temporada 2015 do Mundial de F1, no próximo dia 15 de março, por recomendação médica. O anúncio foi feito pela McLaren na manhã desta terça-feira (3), e o substituto será o dinamarquês Kevin Magnussen.

Em um comunicado, a McLaren pela primeira vez admitiu uma lesão do piloto espanhol após o acidente sofrido no dia 22 de fevereiro durante os testes de pré-temporada na Espanha. Alonso sofreu uma concussão e, devido às recomendações dos médicos, não viajará para Melbourne para aquela que seria sua reestreia na equipe inglesa — ele defendeu o time na temporada 2007, quando foi terceiro no Mundial de Pilotos e venceu quatro GPs.


Na última quinta-feira, em uma coletiva no Circuito da Catalunha, Ron Dennis havia assegurado que os sucessivos exames realizados em Alonso não haviam detectado lesões, "nem mesmo uma pequena concussão". Segundo ele, a demora para receber alta se dera devido a um cuidado excessivo dos médicos. Não era verdade.
 
No comunicado divulgado nesta terça, a McLaren reitera que os médicos “informaram que não veem evidência de qualquer lesão e que o consideram plenamente saudável do ponto de vista neurológico e cardíaco”.
 
Entretanto, o time enfim usou o termo “concussão” para descrever o que aconteceu com Alonso após o acidente e disse que, ao deixá-lo fora do GP da Austrália, procura minimizar os riscos de novas lesões.
 
“Os médicos recomendaram a ele que, depois da concussão, ele deveria procurar ficar o mais longe possível de qualquer fator de risco que possa potencialmente resultar em outra concussão em um espaço de tempo tão próximo da outra, minimizando as chances de um segundo impacto, um procedimento médico normal no tratamento de atletas depois de concussões”, diz a nota enviada pelo time.
 
“Fernando entendeu e aceitou este conselho, e os dois carros da McLaren serão pilotados na Austrália pelo companheiro de Fernando, Jenson Button, e o piloto de testes e reserva Kevin Magnussen”, segue.
Ainda de acordo com a McLaren, os médicos reconhecem que Alonso se sente bem e saudável e que se considera “pronto para correr”, e estão confortáveis pelo fato de que ele já recomeçou seus treinamentos físicos “com a intenção de preparar o retorno ao cockpit da McLaren Honda para o GP da Malásia, nos dias 27, 28 e 29 de março.

O time encerra o comunicado afirmando que "todos na McLaren Honda apoiam completamente a decisão de Fernando em respeito ao conselho dos médicos".
Kevin Magnussen (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Escolhido para substituir o bicampeão, Magnussen testou com o MP4-30 no último sábado em Barcelona. Na ocasião, o piloto deu somente 39 voltas até que um vazamento de óleo fez a McLaren encerrar mais cedo o dia de treinos.

Em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO no circuito, o dinamarquês comentou que seria difícil entrar no carro para ocupar o lugar de Alonso devido ao fato de que não teve uma preparação ideal. Contudo, disse que ficaria muito feliz se recebesse a chance.

“Vai ser difícil, pois não será um time de mecânicos e engenheiros com o qual conversei durante todo o inverno. Fiquei um pouco de lado. Fui acompanhando tudo, mantendo-me atualizado, mas é diferente quando você tem o próprio time e pode trabalhar com eles todos os dias. Vai ser difícil, mas vou ficar muito feliz se tiver que fazer isso”, disse.

Magnussen foi o titular da McLaren na temporada passada e perdeu a vaga justamente por causa da chegada de Alonso. Coincidentemente, obteve seu melhor resultado justamente no Albert Park: foi segundo, conquistando assim primeiro e único pódio.

Vítima de um acidente semelhante ao de Alonso na temporada 2011, o mexicano Sergio Pérez perdeu duas corridas devido à concussão que sofreu. Ele só voltou a competir um mês depois.