F1

Com vitória e título, Mercedes festeja: “O script não poderia ser melhor”

O domingo (3) foi perfeito para a Mercedes. Toto Wolff aplaudiu a vitória conquistada por Valtteri Bottas nos Estados Unidos e saudou o novo hexacampeão mundial de F1, Lewis Hamilton. O dirigente austríaco admitiu nervosismo na disputa entre os dois nas voltas finais da corrida em Austin, mas revelou que o cenário pode se repetir em 2020: “Acho que vamos manter isso para o ano que vem”

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré


Vitória, dobradinha e título mundial. O domingo (3) de GP dos Estados Unidos não poderia ter sido melhor para a Mercedes. Dos boxes prateados no Circuito das Américas, Toto Wolff festejou o triunfo conquistado por Valtteri Bottas. E Lewis Hamilton, segundo colocado, confirmou o hexacampeonato. Feitos que deixaram todo feliz o dirigente austríaco.
 
“Estou muito orgulhoso de todo mundo trabalha nas fábricas. Há muito trabalho feito por trás de tudo isso. Quando termina assim, um piloto vence e outro conquista o título, então o script não poderia ser melhor”, comemorou Wolff.
A Mercedes festejou um domingo perfeito em Austin (Foto: AFP)
Ao longo da corrida, o chefe da Mercedes não escondeu que ficou tenso com a disputa mais acirrada entre seus pilotos, sobretudo nas voltas finais, mas revelou que era a hora de os dois realizarem suas corridas, com as escolhas independentes em termos de estratégia. Bottas partiu para duas paradas, enquanto Hamilton arriscou com um pit-stop. E quase deu certo para o hexacampeão.
 
“Foi um pouco nervoso, mas foi a última corrida do campeonato, então você tem de ser flexível no seu pensamento. Lewis sentiu que poderia fazer uma volta a mais, o estrategista de Hamilton o manteve na pista”, explicou.
 
“Aprendemos a lição de Singapura, quando dissemos que a estratégia pode funcionar a favor de um ou de outro. Você pode ver hoje o quão próximo foi a diferença entre uma e duas paradas. Decidimos que deixaríamos correr, e acho que isso vai ser algo que vamos manter isso para o ano que vem”, sinalizou Wolff.
 
Quando questionado sobre o futuro de Hamilton na Mercedes, o dirigente entende que não vê seu piloto se aposentando na próxima temporada, quando vence seu contrato com a equipe. “Acho que ele ainda está motivado, e você pode ver que ele quer vencer toda corrida. Queríamos oferecer a ele um bom carro e, pessoalmente, não acho que haja um limite”.
 
Por fim, o chefão da Mercedes deixa claro que não vê a hora de chegar à sede da Mercedes para comemorar com todos os funcionários mais um ano coberto de glória. “Espero que todo mundo esteja se divertindo na Inglaterra, nós vamos estar no mesmo voo voltando para Londres hoje à noite, então espero que tenhamos um bar por lá”, concluiu.
Paddockast #40
QUEM VOCÊ ENTREVISTARIA NO GP DO BRASIL?


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.