Com “volta sexy”, Hamilton treme ao igualar recorde de Senna: “Ele me inspirou a ser quem eu sou hoje”

Também tricampeão mundial ficou sem palavras ao conquistar sua 65ª posição de honra do grid e receber de presente capacete do ídolo e herói de infância

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;

google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width =

336;
google_ad_height = 280;

Lewis Hamilton já conquistou seu troféu no GP do Canadá. Ao igualar o número de pole-positions de Ayrton Senna neste sábado (10), o também tricampeão mundial de F1 recebeu como prêmio um capacete do seu ídolo e herói de infância. A reação foi a mais sincera possível. O piloto da Mercedes ficou sem palavras e chorou diante da torcida em Montreal.
 
Com uma volta que ele próprio classificou como “sexy” já na parte final do classificatório, Hamilton cravou 1min11s459 e conquistou sua 65ª pole-position na carreira. Sebastian Vettel fez o segundo tempo (+0s336), com Valtteri Bottas em terceiro (+0s718).
 
“Estou tremendo… Sem palavras”, tentou dizer Hamilton, ainda na pista, ao receber o presente da família e do Instituto Ayrton Senna. “Ele me inspirou a ser quem eu sou hoje. Ayrton foi o meu piloto favorito. Igualar o recorde dele é uma grande honra.”
Lewis Hamilton não largou o capacete de Ayrton Senna depois de conquistar a pole no Canadá (Divulgação)
O inglês deixou a frieza de lado, jogou a garrafa que estava segurando no chão e atacou o brinquedo como uma criança. Dispensou até mesmo o acrílico que protegia o capacete. Na volta para o paddock, Hamilton fez questão de mais uma vez desfilar com o presente. 
 
“Montreal sempre foi boa comigo. Foi uma disputa muito apertada com a Ferrari, eles foram muito rápidos como têm sido ao longo do ano. Ao final, consegui uma ‘volta sexy’. A equipe fez um trabalho fantástico, aprendemos com os erros da última corrida e estamos construindo um bom fim de semana.”
 
A história de Hamilton com a posição de honra do grid começou exatamente no GP do Canadá, em 2007. Já Senna conquistou a pole pela primeira vez no GP de Portugal de 1985, também o da primeira vitória, e a última no fatídico GP de San Marino de 1994.

Com tamanho presente nas mãos, o piloto da Mercedes admitiu que terá que rearranjar os movéis e a decoração para expor o capacete em um local de destaque em seu apartamento em Mônaco. 

"Não tenho muito espaço para colocar os troféus, mas, para este, definitivamente tem espaço. Talvez na mesa de centro da sala-de-estar, assim será a primeira coisa que as pessoas vão ver quando entrar", disse Hamilton, já refeito do impacto do presente.

 
Como se não bastasse, Hamilton não está longe de se tornar o recordista de largadas na primeira posição. Michael Schumacher conseguiu o feito em 68 oportunidades. Na sétima corrida da temporada, não é impossível imaginar que o piloto da Mercedes ainda aumentará este número.
A NOVA F1 SE APROXIMA MAIS DA INDY. E ÁUDIO EM MÔNACO É PROVA

.embed-container { position: relative;

padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden;

max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-

container object, .embed-container embed { position:

absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%;

}

</ifra me></div> </div> </div>

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube