Confira declarações dos pilotos após abertura do fim de semana do GP dos EUA, 16ª etapa do Mundial de F1

O temporal que marcou a sexta-feira em Austin impediu que pilotos e equipes completassem o cronograma previsto para a abertura das atividades de pista no Texas. Chamou a atenção o tom de preocupação de Sergio Pérez com o México, que sofre com o devastador Furacão Patrícia, que atingiu a costa oeste do país

A sexta-feira (23) foi de muita chuva e poucas emoções no Circuito das Américas, palco do GP dos Estados Unidos, 16ª etapa da temporada 2015 do Mundial de F1. A forte chuva, que vem sendo a marca climática dos últimos dias no Texas, comprometeu de forma direta o cronograma dos pilotos e equipes, que tiveram a quilometragem bastante limitada e resumida ao primeiro treino livre, realizado pela manhã e com pista úmida. Nico Rosberg foi o mais rápido, seguido pelos carros da Toro Rosso de Daniil Kvyat, em segundo lugar, e Daniel Ricciardo, em terceiro.
 
Chamou a atenção o bom quarto lugar de Carlos Sainz Jr., que jamais havia guiado no Circuito das Américas, mas conseguiu terminar em quarto lugar. Claro que, no fim das contas, os tempos de volta não foram muito significativos em razão das condições de pista. O piloto da Toro Rosso foi mais rápido, inclusive, que Lewis Hamilton, quinto colocado, e Sebastian Vettel, sexto.
Rosberg foi o mais rápido do dia em Austin (Foto: COTA)
Felipe Massa fechou em 11º depois de ter sido superado no fim da sessão pela McLaren de Fernando Alonso e a Williams do seu companheiro de equipe Valtteri Bottas. Aí veio o segundo treino livre. Ou melhor, não veio. O temporal voltou com força no período da tarde e levou a direção de prova a, primeiramente, atrasar a sessão. Mas uma vez que não havia a menor condição e com a iluminação natural cada vez mais precária, não houve saída a não ser cancelar o treino. Assim, Felipe Nasr sequer teve a chance de acelerar nesta sexta-feira.
 
A seguir, confira as declarações dos pilotos nesta sexta-feira que abriu os trabalhos de pista na chuvosa Austin, capital do Texas.
 
RED BULL
 
Daniil Kvyat, segundo: "Não havia muito que fazer hoje, mas nós conseguimos ainda andar um pouco no primeiro treino, o que foi bom para mim. No TL2, obviamente, não tinha jeito. Tivemos um pouco de diversão nos boxes. Mas amanhã se permanecer assim acho que vou trazer o meu computador e aproveitar para ver alguns filmes ou ler alguns livros."
Daniil Kvyat obteve um bom segundo lugar nesta sexta-feira no Texas (Foto: Red Bull)
Daniel Ricciardo, terceiro: "Este tempo é bom para os agricultores. Eles realmente precisam de água em suas fazendas com solo tão seco. Mas é óbvio que foi uma pena para os fãs e para os nós. Acho que em dias como esse a gente fica muito triste pelos fãs. A previsão para amanhã parece ruim de novo, mas vamos ver o que poderemos fazer. Eu gosto deste circuito, é um dos meus favoritos. E o carro tem melhorado e sei que somos fortes nessas situações. Então vamos ver o que acontece."

 

TORO ROSSO
 
Carlos Sainz, quarto: “Nós só conseguimos completar três voltas rápidas hoje devido às condições climáticas. É uma pena porque esta é uma nova pista para mim, então é importante acumular o máximo possível de quilometragem, mas terminar em quarto no primeiro treino é algo muito bom. O carro parece bom no molhado e isso me deu confiança. O fato de não termos conseguido completar uma volta sequer no segundo treino não é a ideal, mas nós precisamos esperar e ver se a chuva vai parar amanhã.”
 
Max Verstappen, sétimo: “Foi bom voltar a guiar aqui em Austin novamente. É uma pela devido ao clima, já que não foi possível completar muitas voltas em razão da chuva. Mas o carro andou bem no molhado, então podemos ficar felizes com isso. Você nunca quer um temporal como esse numa sexta-feira, especialmente durante meu ano de estreia, quando o mais importante é acumular o máximo possível de quilometragem, mas simplesmente temos de lidar com isso.”
 
 
FERRARI
 
Kimi Räikkönen, oitavo: “Não podemos tirar muita coisa dos treinos livres de hoje. Nesta manhã fizemos só três voltas cronometradas porque queríamos poupar pneus intermediários para a segunda sessão. Não temos muitos jogos de pneus de chuva, e como ainda esperamos por mais chuva, é melhor mantê-los. É uma situação complicada, mas é o mesmo para todo mundo. No momento, estamos apenas supondo, vamos ver como vai ser amanhã e, em seguida, o que virá depois se a gente não puder guiar. Com essas condições climáticas, há mais chances para corridas estranhas, tudo pode ir contra ou em seu favor. É uma pena para todos, os fãs que não podem ver nada, e para nós, que não podemos guiar por causa das condições. Esperamos ter as condições adequadas, ao menos no domingo, e poder fazer a classificação e a corrida. Vamos tentar tomar as decisões corretas. Tenho certeza de que temos a velocidade para nos recuperar na largada.”

McLAREN
 
Fernando Alonso, nono: "É uma pena não ter sido possível andar hoje. Tivemos uma manhã até que produtiva, conseguimos fazer algum tipo de avaliação do motor e do setor aerodinâmico. Há definitivamente um progresso e teria sido muito melhor se tivéssemos tido a chance de andar no TL2. Mas entendo que, com essa chuva à tarde, não era possível andar com segurança. Não me lembro da última vez que vi um tempo tão feio. Foi inacreditável. Nessas condições, o melhor é manter os fãs e os pilotos em segurança. Por isso, acho que a decisão tomada foi correta."
 
Jenson Button, 13º: "É sempre decepcionante ter de cancelar um treino, mas acho que a decisão tomada hoje foi inteiramente correta. A pista não estava suficientemente segura para ter a sessão, e a perda de luz natural também significou que não poderíamos adiar muito mais. É uma pena para todos os fãs que vieram aqui hoje. Mas a principal coisa é que as pessoas ficaram seguras com a aproximação dos relâmpagos. É sempre difícil quando essas coisas acontecem."
 
 
WILLIAMS
 
Valtteri Bottas, décimo: “Andamos um pouco pela manhã. Tentamos algumas mudanças distintas no acerto dos dois carros para aprender um pouco mais sobre o clima chuvoso e nossa performance. Tivemos alguma dificuldade hoje com a granulação do pneu dianteiro. Teria sido bom sair novamente e tentar algo diferente. Conseguimos entrar no top-10, o que é ligeiramente melhor do que o que vimos, mas ainda há muito trabalho a fazer no molhado. Não podemos mudar o clima, é igual para todo mundo, então vamos ver como vai ser. Espero que esteja seco no domingo, que é o principal.”
 
 
FORCE INDIA
 
Sergio Pérez, 12º: “Desde o começo do primeiro treino nesta manhã, as condições não eram as ideais, então nós apenas conseguimos completar algumas voltas. É uma pena por todos os fãs que vieram para cá ver as atividades. Neste momento, no entanto, minha principal preocupação é com meu país. O México está começando a ser atingido pelo maior furacão da história, e todos os meus pensamentos estão com meu povo. Estou rezando para que todos estejam salvos. Nós não estamos esperando que o tempo mude muito para amanhã, então estamos imaginando uma quilometragem muito limitada. Mas espero que aconteça alguma melhora para sexta-feira e que possamos conseguir fazer uma grande corrida para os fãs. As condições mistas podem ser a chance para um grande resultado. Nós só precisamos manter o foco, a tranquilidade e fazer o que temos de fazer.”
Sergio Pérez se mostrou muito preocupado com a situação no México devido ao Furacão Patrícia (Foto: Force India)
Nico Hülkenberg, 14º: “Quando as condições da pista são ruins, não vale a pena andar. Completamos algumas voltas, mas não havia aderência alguma e não havia maneira e nós coletarmos qualquer informação útil. Tudo indica que amanhã também deve ser muito molhado, bem como há uma chance de que vamos chegar à corrida com pouquíssima informação sobre os pneus e sobre o acerto. E se este for o caso, será tudo sobre como vamos aprender, se adaptar rapidamente e tomar as decisões com base nas informações que nós temos. Já fizemos isso antes, quando as condições eram parecidas, e estou confiante de que podemos ser competitivos, independente da quantidade de informação.”
 
 
LOTUS
 
Romain Grosjean, 15º: “Eu não me senti mal na pista, especialmente com um jogo de pneus intermediários novos. Entretanto, não havia muito sentido em completar muitas voltas. A coisa principal que aprendi foi que, quando eles dizem que tudo é maior no Texas, significa isso, especialmente com a chuva.”
 
Pastor Maldonado, sem tempo, 20º: “Eu só consegui fazer uma volta de instalação hoje, de modo que não foi o dia mais movimentado que eu tive na pista. Tivemos um problema no câmbio no começo, então nem sequer consegui completar uma volta cronometrada. A chuva foi bastante impressionante, mas não é o que você quer quando você precisa ajustar o acerto do carro e coletar dados. Mas é o mesmo para todo mundo, e vamos estar bem ocupados amanhã se o clima melhorar.”
  
 
MANOR MARUSSIA
 
Alexander Rossi, 18º: “Depois de toda a atividade promocional na semana passada, estava ansioso para finalmente entrar de vez para o lado da corrida. Mas o clima definitivamente teve outras ideias e tornou tudo um pouco frustrante, proporcionando poucas chances para correr. E amanhã também não parece que vai ficar melhor. Completar 11 voltas não era o que eu estava esperando para hoje, mas todos nós estamos dentro do mesmo barco. Literalmente!”
 
Will Stevens, 20º: “É sempre frustrante ter de passar praticamente um dia inteiro confinado na garagem, particularmente quando este é um circuito novo para mim e queria muito ter cumprido o programa. Estamos na torcida para termos alguns momentos no seco amanhã.”
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube